Como pais cuidadosos, nos preocupamos com nossos filhos

0
110
Pais cuidadosos

Como pais cuidadosos nos preocupamos com nossos filhos, independente da idade. Isso é perfeitamente natural ou, ao menos, deveria ser. Qual o limite dessas preocupações?

A partir do momento em que as mesmas se tornam exageradas, gerando angústias ou ansiedade, será necessário revê-las, pois poderão prejudicar o desenvolvimento dos filhos, que percebem e absorvem as emoções ao redor deles.

Teoria

John Rosemond, psicólogo americano, desenvolveu uma teoria sobre como a ansiedade dos pais afeta seus filhos através do excesso de preocupação, gerando a ansiedade e esta seria transmitida ao filho por osmose psíquica, desenvolvendo o medo e insegurança, levando-os a ter dificuldades para enfrentar a vida.

Isso poderá ocorrer independente da idade, pois a percepção dos sentimentos e emoções dos pais não são inerentes a faixa etária e não tornam os filhos imunes ao prejuízo. A ansiedade paterna advém daquilo que os pais idealizam para o filho, criando expectativas, às vezes, difíceis de serem atingidas e superadas ou que não estejam de acordo com as escolhas dos filhos quando maiores, gerando conflitos e frustrações na família.

Esta ansiedade só prejudica os relacionamentos, pois os filhos acabam se anulando para agradar os pais e se veem perdidos e divididos diante de tanta exigências e expectativas que não são as suas.

Quais minhas escolhas?

Sigo o que meus pais desejam para mim ou o que eu desejo? E se eu fracassar? E se não atender as expectativas deles? Esses são pensamentos que passam na cabeça dos jovens e que podem atrapalhar nesse momento tão delicado de escolhas influenciando, inclusive, o rendimento escolar que gera culpa e medo.

É essencial entender que os papéis de pais e responsáveis serão a contento se permitirem que os filhos passem por desafios e dificuldades sem expressar seus medos “exagerados” prejudicando o desenvolvimento nos relacionamentos, intelectual e emocional dos filhos.

Atualmente já vivemos de forma estressante, compromissos e obrigações, agendas sobrecarregadas já nos causam ansiedade e isso é inerente ao nosso dia a dia, cabendo a nós um esforço para administrar estas emoções, pensamentos e sentimentos, a fim de criarmos filhos emocionalmente estáveis e preparados para a vida.

Entender que cada ser humano é único e tem o direito fundamental de se expressar e viver como se é, de verdade.

Viva o presente, controle suas expectativas em relação aos seus filhos e o futuro a seu tempo irá se realizar com mais qualidade emocional.

Confie no ciclo da vida!

 

Compartilhar
Artigo anteriorConheça o movimento que defende maior consumo de ‘comida de verdade’
Próximo artigoHoje é o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais
Psicanalista e Auriculoterapeuta. Pós graduada em Psicossomática, especialista em Terapia Sexual, atendimento clínico, extensão em lúdico com crianças, adultos e idosos. Curso de Aperfeiçoamento em Cuidados Paliativos. Terapeuta Floral de Bach.

Deixe seu comentário