A ansiedade e a relação com a idade

0
54
A ansiedade e a relação com a idade

Em um mundo cada vez mais conectado o novo é muito valorizado. Com isso cresce o número de pessoas que sofrem – em menor ou maior grau – do que alguns especialistas chamam de o mal do século: a ansiedade. Mais especificamente, muitas pessoas enfrentam a dificuldade de lidar com o tempo de cada coisa. Com o tempo de si próprio. Com a própria idade.

A facilidade com que as coisas são conquistadas e descartadas na atual era nos proporciona a sensação de que tudo pode ser trocado por um novo. Até mesmo as pessoas. O velho se torna rapidamente obsoleto.

De acordo com o especialista Karam Valdo, psicólogo especialista em Psicologia Analítica Junguiana, a ansiedade é uma reposta psíquica e biológica saudável e por diversos motivos pode se tornar patológica. “Um dele pode ser a necessidade de viver essa transição da melhor maneira. Por isso, se os sintomas estão de certa forma te impedindo de viver e causando dor, a melhor maneira de lidar com eles é procurar a ajuda de um profissional, psicólogo ou psiquiatra. Procurar ajuda é um sinal de força e que você quer sair da situação”, explica.

Para Karam, não existe uma só razão para que esse movimento esteja ocorrendo com mais frequência. Na verdade são um conjunto de fatores. “Dentre eles podemos pensar que primeira metade da vida é o que podemos chamar de fase heroica, ou seja, você conquista uma vida. A gente sai da casa dos pais para conquistar a própria casa, a própria família, uma profissão, um emprego. A nossa existência gira em torno de estabelecer-se na sociedade como um ser humano”, aponta.

Após essa fase, o psicólogo explica que essas conquistas já foram realizadas ou tempo para que sejam realizadas começa a se tornar menor. É quando iniciam-se as fases de questionamentos.

Como lidar

Primeiro o especialista afirma que é preciso fazer uma distinção quando falamos de ansiedade. Existe a pessoa que tem um perfil de personalidade mais ansioso que outras e outras que tem problemas relacionadas a transtorno com ansiedade. Segundo o psicólogo, nem todos os que sentem a ansiedade mais forte estão doentes.

Quando se está com uma crise de ansiedade, o pensamento fica difuso. Há dificuldade de focar e se concentrar na atividade presente. Não existe uma receita geral para sair desse estado. Dependendo do grau que o transtorno está instalado a pessoa não vai conseguir lidar com o problema sozinha. Neste caso precisará lançar mão lançar mão de psicoterapia e, ou medicamentos receitados por um psiquiatra.

Com isso, Karam explica que a crise ansiosa pode diminuir de intensidade quando prestamos atenção ao presente. Naquilo que realmente está acontecendo naquele momento. “Há algumas respirações, do tipo abdominal, que podem ajudar a pessoa a sair de uma crise de ansiedade. Práticas como meditação, são muito bem vinas”, ensina.

O especialista complementa ainda citando que outro caminho é considerar se a vida orientada para fora não está sendo vivida em demasia. Isso é, se estamos nos dedicando muito ao trabalho e pouco para o lazer, se temos um tempo só nosso. Tempo ara fazer aquilo que gostamos de fazer, para estar com as pessoas que gostamos”, completa.

Compartilhar
Artigo anteriorCuidados com a pele no inverno são essenciais, tanto para mulheres como para os homens
Próximo artigoMitos e Verdades sobre os benefícios do colágeno
Repórter da Revista Nova Família. Jornalista formada pela Universidade Paulista, possui experiencia em produção e reportagem de TV, além de jornal e assessoria de imprensa com foco em construção de autoridade. Buscou formações ainda na área de planejamento financeiro pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

Deixe seu comentário