Enem 2017: como superar o nervosismo e se dar bem na prova

Controlar a ansiedade é tarefa bem difícil, mas professores indicam algumas maneiras de manter a tranquilidade antes e durante o exame

0
80
Enem 2017

O Enem 2017 (Exame Nacional do Ensino Médio) será realizado pela primeira vez em dois dias: o primeiro será o próximo dia 5 de novembro e o segundo dia 12 de novembro, ambos caem em um domingo. E, como em todos os anos, a ansiedade toma conta de todos os candidatos que prestarão o exame. Só que agora de maneira dobrada.

Mas, as preocupações começam muito antes da época da prova, afinal os alunos tendencialmente buscam estudar mais nos meses antecedentes para evitar a temida reprovação.

Pontos a favor no dia da prova

Porém, não é só de estudo que os candidatos precisam para obterem êxito e conquistar boas notas.

Por isso, algumas dicas e observações devem ser levadas em conta para que você consiga ter mais calma e se dar bem neste exame.

O primeiro ponto a ter em mente é que a prova começa logo que os portões abrem, no caso, 12h. Assim você evitará atrasos desnecessários e nervosismo que podem afetar o desempenho. “Isso é fundamental. Acorde cedo porque o estresse do atraso vai prejudicar você na prova. Espere a hora da prova no portão”, alerta o já conhecido professor de biologia Jubilut.

Outro ponto importante que sempre deixam os alunos preocupados é com relação a ter estudado todo o conteúdo e ter tempo para responder todas as questões. O professor Jubilut deixa claro que a prova do Enem é longa, portanto, estudar tudo é muito difícil. “Nunca dá tempo de estudar tudo. Tenho 15 anos como biólogo e eu não estudei tudo e vou morrer sem estudar tudo. Então, ninguém consegue isso. Não vai dar tempo”.

Com isso, o professor segue deixando suas valiosas dicas de um profissional que atuou por muitos anos lecionando em cursinhos. “A prova do Enem é longa para todo mundo. Esse negócio de fazer as mais fáceis e depois a mais difíceis é ilusório. Se você fizer isso, com certeza não irá bem, porque não vai dar tempo. O importante é você começar a responder pelas áreas que são mais confortáveis e que você tem mais facilidade, assim você ganha motivação, vai se acalmar e se sentir bem para responder as questões mais difíceis. E caso tenha muita dificuldade em uma pergunta específica, marque-a com um X, passe para outra e depois você volta nela”, orienta Jubilut.

Estudos alternativos

Até o dia da prova muitos candidatos seguem estudando com muito afinco. E, muitas vezes, parece que este estudo não traz o resultado esperado. Mas neste momento, o professor de história, Walter Solla, mostra que estudar com ferramentas alternativas também é essencial para a melhoria do entendimento das matérias. “Se você ficar muito agoniado, busque alternativas para aprender, como vídeos pela internet, músicas e filmes. Existem diversas formas de assimilação. Ao menos em humanas, há muitos recursos, como músicas antigas e filmes que normalmente não passam em TV aberta Isso é legal e ajuda bastante”, afirma.

Tempo curto de respostas

Um grande temor dos candidatos durante a prova é o tempo que têm para responder cada questão. Tanto que muitos calculam e fazem a prova observando o tempo que levam para dar cada resposta.

O professor Jubilut fala sem titubear. “Não perca tempo com as respostas. Você tem entre três e quatro minutos para responder as questões, considerando o preenchimento do gabarito, logo terá menor tempo para cada resposta. Portanto, se passar deste tempo vá para outra questão e se der tempo, no final você tenta responder.

E, para finalizar, o professor esclarece que é preciso se dedicar. “A questão fundamental é treinar. Quanto mais você treina, mais chances você terá”, conclui Jubilut.

Guarde estas dicas com bastante atenção e tenha uma ótima prova!

Compartilhar
Artigo anteriorJornalista lança livro inspirado em seu filho autista
Próximo artigoEureka! 4 de novembro é o dia do Inventor
Diretor Editorial e de Redação da Revista Nova Família. Jornalista e assessor de imprensa, desde 2001, conta com grande experiência como repórter, em jornais impressos e emissora de TV, como editor de revista, e webwriter. Além disso, é especialista em assessoria de imprensa e comunicação corporativa, incluindo mídias sociais, marketing digital e otimização de sites (SEO)

Deixe seu comentário