Líder Exponencial – O Líder do Futuro

0
174

Um mundo exponencial exige líderes exponenciais!!!

De acordo com a teoria da evolução, indivíduos com características mais vantajosas tem maior propensão à sobrevivência do que os demais.

Ao longo de muitas gerações, as adaptações das espécies ocorrem através da combinação de mudanças sucessivas nas características dos indivíduos e em virtude das variações do seu meio ambiente.

E no meio corporativo não é diferente.

A era da disrupção vem trazendo mudanças bruscas na forma de consumo de produtos e serviços.

Na última edição do programa The Economist Disrupters, com apoio da EY, o relatório executivo da The Economist Intelligence Unit perguntou a 1000 executivos sênior, em três mercados globais, como a disrupção está remodelando os seus negócios; as ameaças e as oportunidades que ela traz; e como eles estavam reagindo a essas transformações.

A pesquisa mostrou que os executivos alegam que suas empresas estão reativas em relação às forças disruptivas, ao invés de entendê-las como aquilo que conduz o jogo ou está à frente de tudo.

Segundo eles, dado o ritmo acelerado da mudança, o “vamos esperar para ver” pode ser fatal.

Também afirmam que as empresas devem pressionar internamente para abraçar a disrupção como uma oportunidade.

Felizmente, muitas estão fazendo isso. Mais de 60% estão investindo financeiramente em uma estratégia disruptiva, e o mesmo número criou ou considera criar um novo cargo para focar exclusivamente na disrupção.

Mudanças drásticas estão acontecendo em períodos cada vez menores de tempo e, essa realidade tem a ver com capacidade disruptiva do profissional.

Não é possível transformar o obsoleto, só exterminar e criar algo novo. Os dinossauros precisam ser extintos para dar lugar ao homem. E a chave para este movimento está no modelo mental. É necessário formarmos profissionais com pensamento e estado exponencial. E isto, tem pouco a ver com a formação acadêmica em escolas de prestígio ou MBAs. Tem a ver com capacidade disruptiva e com a energia transformadora. A cultura da disrupção exige profissionais exponenciais.

É necessário criarmos o know-how exponencial, preparando os profissionais para que sejam capazes de criarem estratégias inteligentes para revolucionarem o sistema corporativo tradicional, os permitindo sobreviver e avançar.

É preciso criar o pensamento exponencial, adaptar e empoderar líderes exponenciais e criar estratégias inteligentes para lidar com a imunidade do sistema corporativo obsoleto. Um profissional capaz de enfrentar as exigências dessa nova era deve alinhar esses cinco perfis e utilizar as habilidades de cada um para guiar o seu futuro:

Comunicação

A disseminação transparente de um propósito desempenha um papel importante na condução de uma cultura organizacional de inovação disruptiva.

Uma recente pesquisa realizada pela sexta edição do Estudo de Benchmarking em Gestão de Projetos, desenvolvido pelo Project Management Institute Brasil (PMI), comprovou que em 76% das empresas pesquisadas, o problema com a comunicação é o principal motivo pelo fracasso dos projetos.

Grande parte das corporações ainda sofre com falhas na comunicação. E, na maioria das vezes, os problemas não estão ligados às ferramentas utilizadas.  E sim ao modo como essa comunicação é trabalhada pelos lideres e gestores, que declina a qualidade da troca de informações.

O líder exponencial tem flexibilidade comunicativa e se expressa de maneira entendível, trocando informações que geram um relacionamento mútuo com o próximo.

Tecnologia

O líder exponencial necessita ter conhecimento sobre tecnologia. Não, necessariamente, de como programar ou criar robôs e sim de inteligência interartificial. Ter a percepção de que é imprescindível conhecer melhor as tendências tecnológicas e, principalmente, de como elas se aplicam ao seu ambiente de trabalho.

O gestor atual precisa entender que, independentemente de qual ramo sua empresa atue, ela será impactada pelas novas tecnologias.

Gestão

O líder exponencial necessita estar antenado aos desafios e perspectivas de sua área de atuação. Deve ter a habilidade de analisar a situação onde se encontra, projetando novas possibilidades e cenários, enxergando o futuro como muito mais do que uma nova versão de eventos passados.

No pensamento futurista exponencial, os líderes precisam estar sempre curiosos sobre o futuro e saber misturar análises preditivas com práticas imaginativas.

Os gestores atuais são bastante reticentes quanto à inovação, pensando de forma linear e não exponencial ou disruptiva.

Inovação

Muitos líderes preferem seguir um plano mais seguro e isso pode até mantê-los em um caminho de crescimento constante, mas não exponencial, e isso os impede de descobrir novas possibilidades.

O mundo está passando por turbulências, e um mundo exponencial exige líderes exponenciais. Ser inovador requer coragem de se arriscar. Quando um líder inovador abre espaço para novas ideias, incentiva a ideação criativa e a experimentação, ele abre mão das estratégias certeiras, utilizando a bagagem intuitiva, aumentando alguns riscos, mas também ampliando a variabilidade.

Mais do que nunca a inovação se faz necessária para garantir o futuro de um negócio e o líder exponencial entende que é preciso ir além das previsões e tendências.

Humanidade

Os líderes exponenciais precisam abraçar seu papel de líderes humanitários, que utilizam suas habilidades de liderança futurista, inovadora e tecnóloga para a vida das pessoas que tocam e da sociedade como um todo.

Esse compromisso deve ir além da responsabilidade corporativa, mas de se ter um papel de influenciador da sociedade e de impactar a vida das pessoas. O líder exponencial é um educador, um facilitador, um orientador e formador de conceitos e de pessoas.

Atuando como norteador, proporcionando o aperfeiçoamento profissional e o amadurecimento pessoal, indicando o caminho e fornecendo as condições necessárias para que a sua equipe possa remar para o mesmo objetivo.

Para gerar líderes do futuro, necessitamos criar o pensamento exponencial, instituindo novos modelos mentais. Para Fredy Kofman, autor do livro Metamanagement, o modelo mental é o conjunto de sentidos, pressupostos, regras de raciocínio e inferências que definem como percebemos, sentimos, pensamos e interagimos.

Não adianta ter um negócio extraordinário se quem está por trás disso tem mente obsoleta ou pensamento linear.

O líder exponencial deverá ser dotado de um senso de não linearidade, de total descentralização, prezando pela transparência e inovação, potencializando suas possibilidades de sucesso.

Os modelos previsíveis de gestão estão dando lugar a um mundo volátil e complexo, em que a adaptabilidade à disrupção representa uma vantagem competitiva.

ORGANIZADOR

 

APOIADORES

   

 

Créditos:

https://medium.com/futuro-exponencial/o-mundo-corporativo-precisa-de-l%C3%ADderes-exponenciais-9cdaf7567127
https://endeavor.org.br/realidade-da-disrupcao-como-empresas-estao-reagindo-de-verdade/
http://www.administradores.com.br/noticias/carreira/a-importancia-do-lider-comunicador/33653/
http://news.sap.com/brazil/2017/01/25/as-habilidades-do-futuro-em-um-mundo-com-inteligencia-artificial/?source=social-blog-innovation-brazil
http://www.administradores.com.br/artigos/negocios/o-que-sao-modelos-mentais/44235/
https://www.friedman.com.br/blog/artigos/246/organizacoes-exponenciais-9-insights-para-a-lideranca
https://exame.abril.com.br/carreira/profissionais-exponenciais/
https://medium.com/futuro-exponencial/executivos-exponenciais-5194b29229e0

 

Compartilhar
Artigo anteriorConfira 10 dicas para não descuidar da saúde da pele e dos cabelos durante o Carnaval
Próximo artigoCompartilhe seu carro e faça uma renda extra pela moObie
Consultora de Facilities na WGPS Property Management, Cofundadora do Ciclo do Conhecimento, com 23 anos de experiência na gestão de Serviços Compartilhados, Facilities, Property Management e Real Estate. Vencedora do Prêmio Profissional do Ano, Excelência e Qualidade Brasil 2017. Socialização da expertise por meio de publicações em portais de projetos educacionais e jurídicos, sites de referência nacional, tais como: JusBrasil, JurisWay e Revista Infra. Compartilhando, ainda, a vivência no mercado mediante a difusão em seminários e palestras realizados em universidades públicas e particulares, tais como UFRJ , Candido Mendes, Estácio de Sá e Universidade Veiga de Almeida. mayb.ferreira@ciclodoconhecimento.com

Deixe seu comentário