Por que devo impor limites na vida de meu filho?

0
75
Psicóloga aponta consequências da falta de limites na infância
Dificuldades para dormir, birras para tomar banho e comer, dificuldade em ouvir um “não”, não querer ir à escola, essas são algumas das consequências da falta de limite na vida da criança, de acordo com a Dra. Carol Braga, Psicóloga Infantil e Familiar.

O limite é essencial na vida da criança, é a base para o desenvolvimento infantil saudável e para a instituição de valores que nortearão a vida adulta. Sem ele algumas situações podem tomar proporções indesejáveis e desagradáveis.

“Limite é mostrar até onde pode-se ir/fazer/acontecer. É importante para que a criança identifique seu “eu” e o outro! O não comprometimento e a não identificação da existência do outro são as principais consequências da falta de limitação” destaca a psicóloga.

Alguns pais encontram dificuldades em aplicar os limites na vida dos filhos, e de acordo com a profissional, os principais motivos para que isto aconteça são: a culpa e o egoísmo do adulto em não querer “ter trabalho” dentro daquela situação.

“Veja bem, é muito fácil fazer uma criança parar de chorar ou de fazer birra dando à ela aquilo que ela quer. Esse esforço de impor o limite por parte dos pais é essencial e irá poupar impactos negativos na vida da criança. A vida “lá fora” é diferente, nem sempre o indivíduo terá tudo o que quer, portanto é fundamental que aprenda a lidar com tais situações. Além disso, é preciso ter discernimento do que é bom e do que é ruim, e para isso, o limite é fundamental”, esclarece a profissional.

Não existe idade ideal ou situações específicas para a imposição de limites, estes devem estar presentes desde os primeiros dias de vida da criança através da rotina, o limite é e faz parte da vida! “Durante minha trajetória profissional presenciei inúmeras situações decorrentes da falta de limite, mas as que mais se destacam, e que os pais têm maior dificuldade, são relacionadas ao sono da criança e ao “presentear”, observa a psicóloga.

Pais, caso ainda não tenham estabelecido uma rotina para seu filho, estabeleça uma já! Para que os limites sejam instituídos mais facilmente, estabeleça regras dentro do dia a dia da criança, estipule horários e atividades.

Os questionamentos dos filhos vão existir, mas é extremamente importante que os pais sejam firmes e mantenham sempre a palavra. “Sempre digo que nunca devemos desistir de algo que podemos melhorar, porém, quanto maior o tempo que demoramos para tomar uma atitude, maior a cicatriz”.
Para os pais e futuros pais: “Busquem informação! Apenas com conhecimento é possível tomar “posse” daquilo que almejam para seus filhos”, ressalta a profissional.

Portanto, seja qual for o desafio, o importante é não desistir!

Compartilhar
Artigo anteriorEspecialistas respondem seis dúvidas comuns sobre o câncer na internet
Próximo artigoEficiência em Programas de Diversidade e Inclusão Corporativa
Sempre teve como vocação a busca pela humanização das relações e o cuidado com as pessoas, é graduada em Psicologia e especializada em Psicologia Infantil e Familiar, tendo amplo conhecimento na área pedagógica, pois durante sua jornada profissional foi proprietária de uma escola infantil. A Dra. Carol Braga realiza atendimentos de maneira prática e experiencial, dentro do ambiente que a criança, familiares e as pessoas que fazem parte de seu dia a dia estão inseridas. Sua principal especialidade é a implantação de rotinas no ambiente familiar, lidando com crianças e ensinando aos pais o papel da disciplina com amor e limites, desde o nascimento do bebê, acompanhando sempre o desenvolvimento cognitivo e comportamental das crianças.

Deixe seu comentário