Sustentabilidade

Projeto EMBRAPII desenvolve postos de abastecimento para veículos elétricos com tecnologia 100% nacional

A iniciativa está em desenvolvimento na unidade CPqD e possibilitará recarga doméstica e em estabelecimentos distribuídos pelo país Para que os veículos totalmente elétricos ganhem

Projeto EMBRAPII desenvolve postos de abastecimento para veículos elétricos com tecnologia 100% nacional

A iniciativa está em desenvolvimento na unidade CPqD e possibilitará recarga doméstica e em estabelecimentos distribuídos pelo país

Para que os veículos totalmente elétricos ganhem popularidade no Brasil é fundamental o desenvolvimento de uma rede de abastecimento qualificada que permita ao motorista recarregar seu automóvel rapidamente para seguir viagem. Pensando nesta questão, a EMBRAPII {Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial} apostou na ideia da criação de eletropostos, mas que tenham tecnologia 100% nacional, o que aumenta o custo-benefício e movimenta a economia brasileira. Atualmente, a tecnologia disponível é importada.

O projeto é desenvolvido pelo CPqD, unidade credenciada EMBRAPII, em parceria com a empresa PHB Eletrônica. O apoio financeiro também inclui verba do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social {BNDES}. O objetivo é distribuir os eletropostos pelos centros urbanos e rodovias do país oferecendo as condições para que a utilização de veículos elétricos seja ampliada.

Ao todo, são três modelos de eletropostos com recarregadores do tipo plug-in em desenvolvimento: normal, que poderá ser instalado em casa, semirrápido e rápido, ambos para instalação em espaços públicos como estacionamentos, shopping centers, postos de combustíveis, entre outros. Nos eletropostos normais, a recarga da bateria levará de 8 a 16 horas; no semirrápido, em 2 a 4 horas e, no rápido, em até uma hora, dependendo do modelo do veículo. Todos os equipamentos serão desenvolvidos de acordo com as normas da ABNT {Associação Brasileira de Normas Técnicas} para esses produtos.

O sistema inteligente irá identificar o usuário para liberação do uso, bem como controlar o nível de recarga e a futura cobrança pela energia consumida. A previsão é que os primeiros protótipos de eletropostos nacionais estejam disponíveis para produção industrial no final de 2020.

Por dentro do modelo EMBRAPII

A EMBRAPII, organização vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações, atua por meio da cooperação com instituições de pesquisa científica e tecnológica, públicas ou privadas, tendo como foco as demandas empresariais. Atualmente há 42 unidades credenciadas pelo país.

“As infraestruturas físicas aliadas a seus recursos humanos altamente qualificados, tornam as unidades EMBRAPII potenciais parceiras de empresas que queiram desenvolver projetos inovadores na área de eletromobilidade, ajudando a reduzir os riscos tecnológicos inerentes destes projetos inovadores”, destacou o diretor de Operações, Carlos Eduardo Pereira.

O modelo de investimento adotado permite rapidez, flexibilidade e risco reduzido no apoio a projetos de PD&I. Funciona assim: as empresas que possuem um projeto avaliado como inovador devem se associar a uma das unidades que avaliam os projetos, analisam questões como viabilidade técnica e interesse do mercado. Caso aprovados, os gastos para seu desenvolvimento são divididos em três partes. A EMBRAPII fica responsável por um terço do investimento, a unidade disponibiliza mão de obra e equipamentos, e a empresa financia o restante.