A hora certa de adotar um cachorro

Qual a hora certa para adotar um cachorro

A gente sabe que ter um filhote em casa traz muita alegria e diversão, principalmente para as crianças.

Basta passar na vitrine de um pet shop que a vontade de entrar e comprar um cachorro é enorme. Mas criar um animalzinho é muito mais difícil do que a gente imagina. Assim como nós, os animais possuem personalidades, ficam doentes, necessitam de atenção e cuidados específicos e conforme o tempo passa, suas rotinas vão se modificando.

Por isso, antes de comprar ou adotar um novo membro para a família é preciso listar alguns itens importantes para essa decisão. E nós te ajudaremos nisso.

Confira:

A raça ideal

O primeiro item a ser levado em conta na hora de escolher a raça é a residência. Se você mora em apartamento, descubra se há alguma política no condomínio em relação ao pet. Geralmente só são permitidas raças pequenas.

Para quem mora em casa também há restrições. Raças grandes, por exemplo, possuem muita energia e necessitam de espaço para liberá-las.
Em ambos os casos é necessário oferecer ao cachorro espaço para que possam brincar, correr e manter o bem-estar. E tais atividades também precisam ser acompanhadas por seus donos. Quando o animalzinho não libera a energia e não recebe atenção, ele tende a ficar nervoso e agressivo. O ideal é que ele também não fique longos períodos sozinho. Sua família deve estar preparada e ter tempo livre para se dedicar a ele.

Assim como os seres humanos, os cachorros também possuem personalidades e cada raça tem a sua. Beagles são elétricos e agitados, precisando de bastante exercício diário e educação firme. Boxers são fiéis, espaçosos e considerados ótimas companhias para crianças, já os maltês são companheiros e costumam seguir o ritmo do dono.

Eles crescem

Na vitrine, os filhotes são sempre as atrações principais e os mais requisitados na hora da compra, mas no dia a dia são os que mais dão trabalho, pois adoram aprender coisas novas. Filhotes fazem xixi em QUAL a hora certa para adotar um cachorroqualquer lugar, cavucam o jardim, roem tudo o que vêem pela frente, soltam pêlos e querem brincar o tempo todo. E isso acontece com freqüência até, aproximadamente, o 7º ou 8º mês. Gritar ou prendê-lo, não fará com que o cachorro aprenda as normas da casa. Assim como uma criança, é necessário educá-lo e de maneira paciente.

A expectativa de vida também é importante. Ao comprar ou adotar um cão pequeno, saiba que ele tende a viver de 14 a 19 anos. Já as raças grandes vivem de 10 a 15 anos.

Quando o cão entra na sua fase idosa, alguns cuidados especiais são necessários. Atenção é a palavra e atitude mais importante para o cachorro nessa fase. Pois doenças renais, do coração, cegueira, dores na coluna e até bronquite podem aparecer e é preciso estar atento aos sinais. Manter uma alimentação saudável e visitar frequentemente o veterinário ajudam a prevenir e diagnosticar algumas doenças.

Despesas

É extremamente importante ter em mente os gastos que se pode ter com o cão. Alimentos, roupas, vacinas, consultas no veterinário, banho, tosa e acessórios podem pesar no seu bolso. O tamanho, a idade e o peso podem fazer com que o animalzinho coma mais, o que também pode influenciar nas suas despesas.

De forma geral, os gastos com um cachorro podem ser organizados da seguinte maneira: 74% com alimentação; 13% com serviços; 8% medicamentos, higiene e beleza e 5% com acessórios.
Por isso, antes de pensar em comprar ou adotar um novo membro para a família, pense muito bem antes e só toma a decisão se for abraçar este compromisso de coração aberto para dar e receber muito amor e carinho.