Abril Marrom é o mês de prevenção e combate às causas da cegueira também nos animais

dog-734689_1920

Oftalmologista veterinária do Instituto Veterinário de Imagem (IVI), Drª Carinne Liessi explica mais sobre esse tema

Você sabia que os animais de estimação também podem ter problemas de visão e precisam visitar um oftalmologista veterinário? Neste Abril Marrom, o tema ganha ainda mais relevância diante do desconhecimento da população. 

Vale ressaltar que a cegueira em animais, principalmente em cachorros, é algo comum e normalmente ocorre devido à velhice, contudo, ela também pode aparecer em decorrência de doenças oculares de diversas ordens.

De acordo com a Drª Carinne Liessi, oftalmologista veterinária do Instituto Veterinário de Imagem (IVI), a prevenção passa por entender quais sinais apresentam um pet que perdeu ou está perdendo a visão.

Confira o que ela tem a dizer sobre isso, e na sequência, como melhorar a qualidade de vida do animal que apresentar esse problema:

O que causa cegueira?

A cegueira pela catarata é uma das causas mais comuns de perda de visão. Existem também outras patologias como problemas na retina, nervo óptico e traumatismos oculares.

Como identificar o início da cegueira ou de doenças oculares?

Quando a cegueira é bilateral e de surgimento rápido, os animais começam a colidir com os objetos ou não acham os brinquedinhos pela casa. Quando a cegueira é gradual, a dificuldade pode ser observada em passeios fora do ambiente de costume do cão. Ele pode tropeçar em guias ou bater em árvores no meio do caminho.

Quais os tipos de tratamento e quanto tempo duram?

O tratamento depende da causa. Por exemplo, se a catarata for secundária, hoje em dia é rotineira a cirurgia e implantação de lente intraocular e, assim, o paciente recupera a visão e a qualidade de vida. Se o caso for um descolamento de retina, é necessário identificar se o paciente tem pressão arterial ou algum outro problema sistêmico.

Meu pet está cego. O que posso fazer para ajudá-lo?

O médico veterinário oftalmologista vai ajudá-lo com orientações sobre manejo e cuidado não só com os olhos, mas com todas as partes do corpo do paciente. Existem viseiras de proteção, adestramento para animais cegos e análise comportamental do paciente e da família.

Dicas para adaptação do seu pet após a perda da visão

– Mantenha os potes de água e ração sempre no mesmo local.

– Evite mudar móveis e objetos de lugar.

– Ao passear com ele, utilize uma guia curta, assim ele ficará mais próximo de você e se sentirá mais seguro.

– Use sua voz para guiá-lo dentro de casa, além de brinquedos que produzam ruídos.

Além dessas dicas, há também uma coleira específica para cães cegos. Ela faz uma espécie de barreira ao redor da cabeça do cachorro, evitando que ele esbarre em algum objeto que possa machucá-lo.

*Por Drª Carinne Liessi Brunato