Adultos de amanhã poderão precisar menos de harmonização facial

Adultos de amanhã poderão precisar menos de harmonização facial

Adultos de amanhã poderão precisar menos de harmonização facial

Adultos de amanhã poderão precisar menos de harmonização facial. Vivemos um momento em que a busca pela estética tem crescido cada vez mais. Cabelo, corpo, lábios, face. Hoje, diferente de anos atrás, é possível que muitas áreas sejam alteradas por meio de procedimentos estéticos, e na odontologia não seria diferente.

Uma das áreas mais em alta na profissão atualmente é a Harmonização Orofacial, responsável por tratamentos que suavizam linhas de expressões, são capazes de levantar sobrancelhas e modificam temporariamente estruturas da face como os lábios, ângulo de mandíbula, contornos da face em um geral, dentre outros.

Mas a tendência é que os adultos de amanhã já não precisem mais de tantas intervenções para que padrões de beleza sejam alcançados, pois tem se estudado e comprovado cada vez mais que, atuando no momento ideal, conseguimos direcionar o desenvolvimento da musculatura e dos ossos da face, conseguindo assim um rosto mais harmônico.

Para a cirurgiã dentista Dra Daniela Yano, o momento ideal é ainda na infância. É muito mais válido investir na prevenção do que na consequência. É claro que o envelhecimento chegará para todos, mas quando temos bases ósseas equilibradas e arcadas dentárias encaixadas corretamente, a musculatura facial fica mais harmônica e sofre menos com a ação do tempo.

Uma criança respiradora bucal, por exemplo, apresenta olheiras, musculatura facial com flacidez, atresia das arcadas dentárias e, consequentemente, o mau posicionamento dos dentes, gerando problemas funcionais permanentes quando não tratadas no tempo correto.

Se na infância já temos esta flacidez muscular, você consegue imaginar como isso estará potencializado na fase adulta?

Já está comprovado que o melhor momento para uma avaliação e intervenção ortodôntica ocorra por volta dos seis a sete anos de idade, quando os incisivos centrais superiores estão na fase de finalização de erupção. E isso não significa que não podemos intervir antes ou depois, cada caso deve ser avaliado e planejado individualmente.

Recentemente temos notado no consultório que a motivação e colaboração das crianças têm aumentado muito com a ortodontia digital. Pois, ela nos trouxe aparelhos removíveis, praticamente invisíveis que não interferem na fala e nem na rotina, vez que não se faz necessária a remoção dos aparelhos para brincar e nem mesmo praticar atividades físicas como acontecia com os aparelhos removíveis antigos.

*Fonte: Dra. Daniela Yano – Responsável Técnica, Graduada em Odontologia pela UNESP, Pós Graduada em Ortodontia pela NEO, Pós Graduada em Ortopedia Funcional dos Maxilares pela CETAO, Pós Graduada em Cirurgia Oral-Menor pela APCD, Pós Graduada em Estética Dental /Planejamento e Comunicação Interdisciplinar/ Fotografia Odontológica Digital- DSD (Digital Smile Design), Pós Graduada em Human Body Total Care (HBTC)- Regulador de Função Aragão, Pós Graduada em Ortodontia pela UNICSUL.

https://m.polishop.vc/novafamilia/

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »