Como lidar com a ansiedade das crianças no período de volta às aulas

ansiedade crianca

Pais devem ficar atentos e auxiliar os filhos diante de tantas novidades e mudanças

Iniciar a vida escolar ou retomar a rotina das aulas pode ser muito angustiante para algumas crianças e adolescentes.

Mudanças de horário, novas responsabilidades ou até mesmo o medo do desconhecido podem refletir no comportamento e no desempenho da criança durante todo o ano. Além disso, muitos pais não sabem como lidar com esse sentimento e acabam agravando a situação.

A ansiedade é uma emoção muito comum, principalmente nos adultos, e até certo ponto normal. “É desencadeada por uma expectativa que pode ser boa ou ruim. Se a expectativa for ruim, os sentimentos gerados podem ser, por exemplo, os de angústia, agitação ou agonia”, diz Rodrigo Caltabiano, médico clínico ampliado pela antroposofia, de São José dos Campos.

Segundo ele, a criança ainda não é capaz de levar seu pensamento para situações futuras, analisá-las com segurança e retornar ao presente também de forma segura, pois não domina essa compreensão de tempo.

É importante que os pais saibam identificar esses sentimentos nos filhos, e que consigam controlar a própria aflição, seja ela provocada pela separação ou pela incerteza de que o filho não será capaz ou não vai se adaptar”, reforça o médico.

Leia mais: Pais ainda não sabem lidar com o xixi na cama; punição é comum

É preciso começar essa preparação em casa. A primeira grande solução é trazer a criança para o agora, propondo nos períodos que antecedem a volta às aulas, atividades que exijam atenção e concentração no presente, como lutas marciais ou dança.

“A meditação também é uma ferramenta eficaz, mas, no entanto, de difícil aplicação em crianças menores”. Para as questões comuns que permeiam a mente dos alunos nessa época do ano, Caltabiano é enfático: “Encoraje a criança a tomar atitudes no tempo presente que podem amenizar aquilo que provoca ansiedade nela!”

Perguntas como “E se os colegas não gostarem de mim? E se eu não entender o que a professora está explicando?” Experimente fazer outras perguntas para trazer a criança para o presente: “O que você pode fazer hoje para os colegas te acharem legal?”, ou “você quer estudar a matéria hoje?”, diz.

Trazer para o agora as angústias de amanhã e encorajar a criança nas ações é uma forma de facilitar a visualização de uma vida mais prazerosa e sem medos, de acordo com o médico.

Os meios digitais também podem prejudicar a criança nesse processo. O ideal é limitar a utilização de videogames, celulares, tablets e outros itens tecnológicos, onde as mudanças acontecem com apenas um clique.

Conecte a criança com o mundo real, para que ela vivencie experiências e não apenas clique nelas, dessa forma, ela volta a ter uma noção da velocidade que a sua mente deve trafegar”, finaliza.

Receba nossas novidades, assine nossa newsletter!

Especial Mulher

Slider