Conheça o aplicativo de transporte para crianças que só aceita mulheres motoristas

Aplicativo de trasnporte para crianças

O BabyPass, lançadop no RJ no ano passado, acaba de chegar a São Paulo; todos os carros têm cadeirinhas infantis disponíveis

Lançado no Rio de Janeiro no segundo semestre de 2018, o aplicativo BabyPass chega a São Paulo realizando corridas que podem ser acionadas imediatamente ou agendadas com antecedência pelo celular. Todos os carros são equipados com cadeirinha para crianças de 0 a 3 anos e assento elevado para as de 4 a 7 anos. Para acrescentar ainda mais diferenciais no serviço e ajudar os pais com o entretenimento dos filhos, o passageiro também recebe dicas de passeios infantis e pontos turísticos para diversão.

A BabyPass emprega apenas motoristas mulheres e aceita como viajantes mães e pais com crianças ou mulheres sozinhas. “Nós optamos por esse tipo de atendimento pensando na quantidade de assédio que há no ramo, a fim de garantir ainda mais a segurança de todos, não só dos pequenos como também das condutoras e das clientes, além de empoderar o público feminino para seguir carreira nessa área”, afirma Leonardo Mendes, um dos fundadores da startup, que tem ainda os sócios Bruno Castro e Daniel Sanches.

O recrutamento das profissionais é minucioso, com análise de documentos, como infrações de trânsito e ficha criminal. As interessadas devem fazer o cadastro na plataforma, além de possuir um carro quatro portas, de modelo a partir de 2013, e com o seguro em dia. As selecionadas recebem o equipamento necessário e participam de um treinamento no qual recebem orientações de como usá-lo.

Os preços das corridas são similares aos cobrados pelo Uber Select. “Estipulamos os valores levando em consideração o investimento nos dispositivos de segurança e o cuidado na seleção das condutoras e com os carros”, diz Leonardo.

As cadeirinhas são essenciais para esse tipo de transporte: segundo dados da Organização Mundial da Saúde, seu uso reduz em até 80% as chances de morte por acidente de trânsito.

Comentários