Aplicativos de celular auxiliam no combate à violência contra a mulher no Brasil

Rear view of a group of diverse woman friends walking together

Com download gratuito, ferramentas auxiliam a denunciar casos de agressão, oferecem redes de apoio e instruem as vítimas a procurar amparo legal.
No Brasil 7 app’s gratuitos já formam uma rede de amparo digital à mulher.
“É a tecnologia em favor da vida”, afirma especialista.

O Brasil é o 5º país em mortes violentas de mulheres no mundo, de acordo com o Alto Comissariado das Nações Unidas pra os Direitos Humanos (ACNUDH). Ficando atrás apenas de El Salvador, Colômbia, Guatemala e Rússia, na comparação com países desenvolvidos, nacionalmente se mata 48 vezes mais mulheres que o Reino Unido, 24 vezes mais que a Dinamarca e 16 vezes mais que o Japão ou Escócia.

O alto número de assassinatos de mulheres em 2019 gerou preocupação na Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH). Somente até o segundo mês deste ano, mais de 126 mulheres foram mortas no Brasil em crimes totalmente ligados à questão de gênero. Um cenário que começou a instigar a indústria de tecnologia mobile a procurar soluções de amparo à mulher.

AMPARO NO DIGITAL

A alta incidência de violência contra a mulher no Brasil incentiva uma grande rede de amparo digital via mobile – o desenvolvimento de aplicativos que tem como objetivo mudar essa situação. Alguns deles, como o Salve Maria, que teve reconhecimento internacional por sua funcionalidade, contam até mesmo com um “botão do pânico”, onde as mulheres em situação de risco podem, com um toque, acionar a polícia.

Especialista em tecnologia e desenvolvimento digital, Bruno Ducatti acredita que as possibilidades oferecidas pelos apps podem mudar a realidade de muitas vítimas. “Estudos mostraram que no Brasil já existe mais de um smartphone ativo por habitante. Com a tecnologia a serviço do combate à violência contra a mulher, não somente as denúncias podem aumentar, como a diminuição dos crimes. É usar a tecnologia a favor de salvar vidas”, explica.

No último ano uma pesquisa da Fundação Getúlio Vargas apontou que são 220 milhões de celulares em funcionamento no país contra 207,6 milhões de habitantes. “Em aplicativos com este fim, todas as opções que as lojas virtuais oferecem são de downloade utilização gratuitos. As vítimas encontram desde informações que orientam amparo na lei até redes de apoio formada por mulheres que compartilham a mesma situação e procuram se ajudar.

Confira sete aplicativos gratuitos que combatem a violência contra a mulher:

1- Salve Maria – Piauí

O aplicativo é um serviço do Governo do Estado do Piauí que viabiliza do envio de denúncias da população de forma anônima. As mensagens são enviadas através de um canal seguro e recebidas por um servidor público que dará seguimento para que sejam tomadas as providências cabíveis ao caso. A ferramenta tem mais de 10 mil downloads e já foi reconhecida internacionalmente.

2- Apoio Vítima

A Mulher Século XXI – Associação de Desenvolvimento e Apoio às Mulheres é uma Organização Não Governamental dos Direitos das Mulheres, reconhecida como Instituição de Utilidade Pública, que intervém maioritariamente na promoção da Igualdade de Gênero, bem como na prevenção e combate à Violência de Gênero e à Violência Doméstica e apoio e proteção das vítimas. É a entidade responsável pelo Centro de Atendimento às Vítimas de Violência Doméstica do Distrito de Leiria e pela Linha de Apoio à Vítima Idosa de Violência Doméstica (800 210 340).

3- SOS Mulher

O aplicativo tem como objetivo promover a ação protetiva às pessoas em situação de vulnerabilidade. Desenvolvido pela Polícia Militar do Estado de São Paulo, o aplicativo possibilita que pessoas abrangidas por medida protetiva concedida pela Justiça, acionem o serviço de emergência 190 nos casos de risco à integridade física ou a própria vida.

4- PenhaS

O aplicativo possui 3 áreas. A primeira com informações, quiz e mapa com pontos de apoio. Na segunda, um chat para que as mulheres possam conversar com outras mulheres. Na terceira, poderá criar uma rede de proteção, além de poder gravar alguma agressão e ligar direto para a polícia.

5- Salve Maria – Uberlândia

Este aplicativo é um serviço da Prefeitura de Uberlândia que viabiliza o envio de denúncias de violência contra a mulher. As mensagens são enviadas através de um canal seguro e recebidas por um servidor público que dará seguimento para que sejam tomadas as providências cabíveis ao caso. O aplicativo conta com o botão do pânico, que envia sua solicitação para as autoridades em caso de violência contra a mulher.

6- Juntas – Uma rede de proteção e empoderamento

Juntas possibilita criar uma rede de proteção e de empoderamento para mulheres. O aplicativo conecta mulheres a uma rede de proteção formada por pessoas de sua confiança, que poderá ser acionada em situações de perigo. Além disso, disponibiliza um conjunto de estudos, pesquisas e informações sobre o tema e da rede de serviços voltadas ao enfrentamento da violência contra mulheres.

7- Rede Mete a Colher

Com a premissa de unir mulheres, o nome subverte o velho ditado “em briga de marido e mulher, ninguém Mete a Colher”. O Mete a Colher é uma rede colaborativa que auxilia mulheres que vivenciam a violência doméstica. O aplicativo, que contabiliza mais de 10 mil downloads, conecta diretamente mulheres que precisam de ajuda com outras que podem oferecer apoio de forma voluntária. A plataforma conta com três categorias de pedidos de ajuda: apoio emocional, orientação jurídica e inserção no mercado de trabalho: auxiliar as mulheres na procura de um emprego para largar a dependência financeira do parceiro.

Bruno Ducatti reside em São Paulo, é empreendedor e desenvolvedor de novos negócios do segmento digital. É graduado pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo em publicidade e propaganda. Ducatti possui larga expertise em tecnologia mobile, marketing para dispositivos móveis, marketing digital e publicidade online, além de criação de Modelos de Negócio Digitais.

Receba nossas novidades, assine nossa newsletter!

Especial Mulher

Slider