A Difícil Arte de Dizer NÃO

200

Por que algumas pessoas não conseguem pronunciar essa palavra tão pequena, mas que acarreta inúmeros resultados em suas vidas?

“Não fobia”

“Não fobia” é o medo e a dificuldade em falar “não”. Geralmente não conseguimos falar o “não” por medo de enfrentar conflitos. Dizer “não” traz algum desconforto, seja para a pessoa que está falando ou para o receptor, o que pode acabar gerando um conflito. Já tentou falar “não” para alguém mimado? Algumas pessoas têm uma dificuldade tão grande em lidar com essas situações de conflito que preferem falar “sim” para tudo e, com isso, evitar o enfrentamento da situação.

Essa atitude é desgastante e causa um enorme prejuízo, não somente para quem fala, pois acaba fugindo de situações que precisam ser enfrentadas, mas, também, para quem ouve, pois esta irá internalizar que sempre suas vontades serão satisfeitas o que, em um mundo real, é impossível de acontecer.

Não precisamos ser sempre os bonzinhos com os outros e acabar nos violentando ao concordarmos sempre com tudo. Algumas pessoas não conseguem falar “não” porque simplesmente não aprenderam que podem ter vontade, não lhes ensinaram a se posicionarem perante situações ou as podaram desde a infância.

Não seja submisso

Geralmente são pessoas submissas, que fazem a vontade do outro; cresceram em lares disfuncionais, onde não havia diálogo entre a família. São pessoa sem vontade, sem desejo ou que os tem, mas não os reconhecem em detrimento do outro. Aprenderam a dizer “sim” pra tudo menos pra si mesmas.

O problema em sempre concordar com situações para agradar ou evitar conflitos é que algum dia essa pessoa poderá chegar ao seu limite e explodir emocionalmente. Algumas pessoas não conseguem falar “não” porque não sabem o que querem. Quando não sabemos o que queremos ou somos indecisos “Maria vai com as outras”, não nos conhecemos, não sabemos do que gostamos e, assim, acabamos falando “sim” para todos e para tudo.

Repare aqui que o problema não é o “não” em si, mas a falta de autoconhecimento, que acaba gerando uma pessoa neutra e sem personalidade. Neste caso, talvez, a solução mais fácil fosse aprender a falar “não”, e ao mesmo tempo de forma contraditória, isso é muito difícil. O autoconhecimento quase sempre é um processo doloroso, onde temos que lidar com nossas imperfeições, dúvidas e medos e essas pessoas simplesmente se acostumam a se portar como o grupo a que pertencem. Entretanto, quando chegam no final da vida se arrependem porque o vazio existencial que fica é grande.

Assuma seus atos e responsabilidades

Existem, também, aquelas que evitam dizer “não” por estarem em uma situação de conforto e não querem assumir responsabilidades por seus atos, posicionando-se a favor ou contra determinada situação somente quando for conveniente, ou seja, quanto mais neutra permanecer, melhor e não decidem por medo da responsabilidade que isso possa gerar.

As direções das nossas vidas são feitas a partir dos “sim” e dos “não” que dizemos. Essa permissão que nos damos para realizar o que realmente queremos fazer chama-se auto respeito. É importante que nos coloquemos diante da vida em uma única posição: a que desejamos.