Atletas brasileiros entre os melhores no Mundial Júnior de Snipe

vela esporte

Atletas brasileiros entre os melhores no Mundial Júnior de Snipe

Evento, que abre espaço para a nova geração da vela, será disputado de 1º a 12 de outubro no litoral norte de São Paulo

Atletas brasileiros entre os melhores no Mundial Júnior de Snipe. O Mundial de Snipe 2019 ocorre em Ilhabela (SP), na Escola de Vela Lars Grael, no mês de outubro, e deve reunir mais de 80 competidores de 12 países. O evento disputado de dois em dois anos abre espaço à nova geração da vela com a realização das regatas dedicadas aos atletas com até 22 anos. As provas do Mundial Júnior de Snipe serão de 2 a 5. A versão sênior, que é aberta à todas as idades, será de 8 a 12.

O Brasil tem ao todo oito títulos mundiais júnior desde 1973 quando a organização da classe começou a promover a competição sub-22. A dupla Tiago Brito e Antonio Rosa é a atual campeã mundial na categoria júnior no Snipe. Os velejadores conquistaram o título em 2017, em La Coruña, na Espanha.

”O título na Espanha estava nos nossos planos. Era o nosso último ano e queríamos ser campeões. Treinamos, chegamos mais cedo e investimos no melhor material para correr o Mundial Junior”, explicou Tiago Brito.

A dupla gaúcha Tiago Brito e Antonio Rosa está inscrita para as regatas de Ilhabela (SP), mas agora só na categoria sênior, pois atingiu o limite de idade.

”Para 2019 espero uma disputa muito forte, com previsão de ventos fortes, o que eleva o nível. O campeonato está em aberto e queremos fazer uma competição consistente. Tirando as classes olímpicas, é uma das categorias mais fortes do mundo ao lado da Star”.

Mundial de Snipe abre espaços em outras classes

Depois das conquistas do Mundial Jr de Snipe em 1996 e 1997, o catarinense André ‘Bochecha’ Fonseca ganhou projeção internacional, representando o Brasil em Olimpíadas e regatas de Volta ao Mundo, hoje chamada de Ocean Race.

O velejador profissional é um defensor do Snipe, a classe que considera a melhor para a transição do Optimist (classe de introdução à vela) para outro monotipo. ”O Snipe é uma das melhores opções no Brasil. É uma classe numerosa, nível técnico alta e histórico de grandes velejadores”.

”A classe serviu muito na minha carreira porque já estava comandando um barco, e, ao mesmo tempo, aprendi muito” disse André ‘Bochecha’ Fonseca, que hoje é tático da equipe profissional de vela oceânica Pajero, atual campeã da Semana Internacional de Vela de Ilhabela.

”Quem sabe um dia eu volte a navegar de Snipe, com certeza voltarei. É um barco para navegar com a família, curtir o fim de semana e não requer muita condição financeira”. 

Brasileiros campeões mundiais júnior

1978 – Mission Bay (Estados Unidos) – Torben Grael | Eduardo Mascarenhas
1996 – São Paulo (Brasil) – André Fonseca | Pablo Furlan
1997 – Mar Menor (Espanha) – Andre Fonseca | Roberto Paradeda
2005 – Rio de Janeiro (Brasil) – Victor Demaison | Mario Tinoco
2007 – San Remo (Itália) – Mario Tinoco | Matheus Gonçalves
2009 – San Diego (Estados Unidos) – Mario Tinoco | Matheus Gonçalves
2013 – Rio de Janeiro (Brasil ) – Lucas Mesquita | Douglas Gomm
2017 – La Coruña (Espanha) – Tiago Brito | Antonio Rosa

Uma curiosidade:

O bicampeão olímpico Torben Grael é o único da lista no país que venceu as duas versões: o júnior e o sênior. O velejador subiu no lugar mais alto do pódio em 1978, no campeonato júnior Mission Bay (Estados Unidos), ao lado de Eduardo Mascarenhas. 

”O Snipe é uma categoria muito forte no Brasil e desde cedo os atletas podem escolher entrar na classe. Tanto pela facilidade de ter um barco, quanto pela quantidade de competições vigentes”, explicou Bruno Prada, medalhista olímpico e organizador do evento.

As primeiras duplas devem chegar a Ilhabela (SP) duas semanas antes do evento para treinamento e reconhecimento da raia.

Sobre o barco

Classe: Snipe Class International Racing Association

Nº de tripulantes: 2

Designer: William Crosby

Material do casco: madeira ou fibra de vidro

Ano do primeiro projeto: 1931

Comprimento do casco: 4,7 m

Quantidade de vela: 2 (mestra e buja) Peso do barco: 173 kg

Por Flavio Perez

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts