BeByte ensina crianças por meio de gamificação

maxresdefault
  • A BeByte, uma escola americana de tecnologia e inovação para crianças de 6 a 16 anos, ensina os alunos a produzirem seus próprios jogos indo além da programação, propriamente dita. Durante as aulas, eles aprendem: história e antropologia, para a construção dos jogos e contextualização do universo que está montando; matemática e empreendedorismo, para que saibam  como comercializar os jogos depois deles finalizados. Além disso, o contato e a dinâmica com outros alunos ajudam os jovens a trabalherem em grupo e se prepararem para o mercado de trabalho.
  • A metodologia utilizada na aprendizagem é baseada em problemas (Problem Based Learning ou PBL), um método utilizado nas escolas da Finlândia, referência mundial em educação. Desta forma o aluno aprende competências como capacidade de autogestão, responsabilidade e autonomia

Fonte :Alex Roger
fundador da BeByte, uma franquia de escola para crianças e adolescentes focada em desenvolvimento de jogos e aplicativos digitais. O empresário iniciou no mundo dos negócios com apenas 17 anos, quando montou uma escola no interior do Espírito Santo. Após três anos, a escola cresceu e foi implantada em outros 11 municípios. Alguns anos depois Alex foi para os Estados Unidos, onde desenvolveu diversos projetos na área de tecnologia e programação de jogos, como o primeiro aplicativo de manual de trânsito dos EUA e os jogos digitais New FrostBit e Korruptus. Tambe desenvolveu projetos na China, Hong Kong, Alemanha, Reino Unido, Taiwan, Argentina, França, Singapura, África do Sul e Dubai.