Geração Y tira de voga o tradicionalismo das cerimônias de casamento

casamento incomum da geração y

Geração Y tira de voga o tradicionalismo das cerimônias de casamento

Eles nasceram entre 1981 a 1996 e estão dizendo não para todas as tradições da velha escola. A tão aclamada geração Y é bem diferente dos jovens das gerações passadas, causando uma revolução na entrega dos mais diferentes setores da indústria, o que não seria diferente com a de casamentos. Segundo o Wedding Report, site que rastreia dados do setor nos EUA, mais de 32% dos casais em 2018 optaram por contratar um celebrante profissional ou convidar um amigo para realizarem a sua cerimônia.

E o principal motivo por trás desse comportamento é que os casais hoje são menos religiosos, optando assim por casar em locais incomuns ou por cerimônias mais pessoais, que contam a história do casal. Com isso, é preciso descobrir a essência dessa relação e envolver todos os presentes nesse momento único. “Amo lidar com pessoas, escrever e falar de amor, além de traduzir em palavras a história dos noivos, transmitir a mensagem que eles desejam nesse dia tão especial, de forma única e personalizada é o meu maior objetivo”, explica Michelle Gomes, celebrante profissional que realiza casamentos sociais e com efeito civil há mais de quatro anos.

Personalização – Um casamento conduzido por um celebrante pode ser realizado na praia, em um penhasco, em um campo ou bosque, pois não há absolutamente nenhuma das restrições usuais em torno da localização, assim como não há restrições com votos religiosos, músicas, leituras ou até mesmo horários como existem em casamentos na igreja. “Ao optar por um celebrante, os noivos o elege como principal personagem de apoio do seu conto de fadas, seja ele uma cerimônia com todos os sinos e assobios ou em um casamento rápido e personalizado”, observa Michelle.

Exclusividade – Sempre que pensamos em cerimônias de casamento, nos vêm em mente várias referências visuais, e o trabalho do celebrante é traduzir tudo isso em palavras, para que todos entrem em conexão com a emoção dos noivos, fazendo de cada cerimônia um momento único. “No meu caso, por exemplo, a ideia é um trabalho de escuta. Realizo algumas reuniões e conseguimos juntos, eu e o casal encontrar o detalhe certo para realizar o sonho dos dois”, comenta a celebrante que acredita, que todos os detalhes fazem o momento ser único. “Vejo como essencial contar a verdade sobre os noivos, a forma deles de enxergar e viver o amor que está sendo celebrado e a cerimônia é o momento que, de fato, transforma a festa em um casamento e para isso, ela tem que ser inesquecível e única assim como cada história é”, comenta.

Um outro ponto que todos os noivos devem ficar atentos nas cerimônias de casamento é de como o celebrante vai se comportar no nesse momento tão esperado. “Eu por exemplo não celebro mais de um casamento por dia. Faço isso por total segurança e exclusividade dos noivos, além de chegar sempre uma hora antes da cerimônia com um cronograma para cada profissional que faz parte desse momento afinal, não temos ensaio e tudo precisa sair perfeito”, finaliza Michelle Gomes.

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts