Cinco destinos imperdíveis na Ásia

Cinco destinos imperdíveis na Ásia

A Ásia é um continente enorme e diverso. Uma visita exige um bom planejamento, mas vale cada minuto e oferece opções para todos os gostos, tanto para quem adora programas culturais como para quem prefere curtir a natureza. O ViajaNet, agência de viagens online, listou cinco destinos imperdíveis para quem deseja explorar a região. Confira:

Nagasaki, Japão

Arrasada por nada menos do que uma bomba atômica em 1945, hoje em dia o bem mais valorizado na cidade de Nagasaki é, claro, a paz. Um exemplo disso é o Parque da Paz, construído em memória ao ataque. Nele, há muitos monumentos e esculturas que simbolizam a harmonia entre as nações. Já no Museu da Bomba Atômica, o viajante poderá se aprofundar sobre o que aconteceu ali.

Mas Nagasaki não vive de lembranças trágicas. No Glover Garden, o visitante pode apreciar uma linda vista. Como tudo no Japão, o local tem conservação impecável. Seus jardins abrigam casas de mais de 100 anos que sobreviveram até mesmo à Segunda Guerra Mundial, praticamente intactas.

O Monte Inasayama, no centro da cidade, tem mais de 300 metros de altura e de fácil acesso, com uma das vistas mais impressionantes do Japão, principalmente à noite. Outra atração é o santuário dedicado a Confúci, e, ainda, o templo Kofukuji, um dos melhores exemplos da arquitetura chinesa

Chengdu, China

Embora poucos consigam gravar seu nome, essa cidade geralmente é mencionada quando se fala nos pandas gigantes. Isso porque a principal atração da cidade é o o Giant Panda Breeding Research Base, gigantesco centro de pesquisa e reprodução dos ursões, onde há algumas dezenas de exemplares, o que garante a diversão dos visitantes.

Em Chengdu também está localizado o New Century Global Center, um dos maiores shopping centers do mundo, que conta com grifes internacionais, além de um ringue de patinação no gelo e um parque aquático. Se prepare para andar, pois o edifício é o mais largo do mundo.

Pelas ruas da cidade – e especialmente à noite –, há outro ponto interessantíssimo, que é Qintai Lu, uma rua temática cheia de casas de chá e restaurantes em meio à sua arquitetura característica, com luzes vermelhas e lanternas típicas chinesas

Parque Nacional de Komodo (Luh Liang), Indonésia

Declarado Patrimônio Mundial e Reserva da Biosfera pela UNESCO, o parque, fundado em 1980, é onde vive o maior lagarto do mundo, o Dragão de Komodo. Sua mordida costuma ser fatal, em razão de sua saliva extremamente venenosa. Observar o dragão em seu habitat natural é uma experiência única.

A vida marinha é igualmente fascinante, com gigantescos recifes de corais e milhares de espécies de animais marinhos. Além curtir a natureza quase intocada de suas três ilhas (Rinca, Padar e Komodo), o turista pode fazer trilhas, praticar mergulho ou, simplesmente, relaxar nas praias.

O Parque oferece ótimos hotéis, hostels, restaurantes e mercadinhos. Alguns passeios pelas ilhas também são oferecidos por agências locais.

PHI PHI ISLAND, TAILÂNDIA

O arquipélago, que serviu de cenário para o filme A praia, é composto por seis ilhas, sendo Phi Phi Don e Phi Phi Leh as principais. A primeira abriga o centro de uma vila agitada, onde estão todas as opções de hospedagem e os melhores restaurantes, com menu diversificado. Em Phi Phi Leh estão as principais praias, como a Maya Bay com águas azuladas e cristalinas.

Bagan, Myanmar

Com um skyline único no mundo, formado pelos contornos de milhares de templos budistas – e isso não é um exagero –, Bagan é disparado o principal atrativo de Myanmar, antiga Birmânia.

Com algo em torno de 3 mil templos, a antiga Capital do Império Pagan está localizada no Vale do Rio Ayeyarwady, que abrange Old Bagan (onde ficam os mais importantes templos do local), New Bagan, uma nova cidade, construída para abrigar os moradores da antiga vila e, também, Nyaung U, que é a cidade onde o aeroporto e as principais opções de hospedagem estão localizadas.

Pela manhã, um dos melhores programas é assistir ao lindo amanhecer da cidade no alto de um de seus templos budistas. O céu vai sendo preenchido por centenas de belíssimos balões, que ampliam a grande sensação de tranquilidade, típica da cidade.

O viajante mais disposto não pode deixar de encarar uma escadaria de 777 degraus e subir até o topo do Monte Popa, que, na crença local, é a morada dos antigos deuses da Birmânia. É preciso estar atento ao principal habitante: o macaco-de-cauda-longa, que pode tentar surrupiar a água ou os alimentos do visitante. Mas trata-se de um risco que vale a pena correr.

Por NB Press Comunicação

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Veja os últimos posts