Cineasta brasileiro leva projeto contra o bullying às escolas

bullying

Cineasta brasileiro leva projeto contra o bullying às escolas

Daniel teve a intenção de falar com as crianças em idade escolar, mostrando que elas não estão sozinhas e que é possível superar situações que muitas vezes parecem insolúveis

Quando ser nerd não era geek, o cineasta Daniel Bydlowski sofria bullying.

Ele já soube o que é se sentir sozinho e acredita que tudo poderia ter sido diferente caso tivesse mais abertura para falar sobre o assunto na época.

Com o seu premiado filme, Bullies, Daniel teve a intenção de falar diretamente com a vítima, em geral crianças em idade escolar, mostrando que elas não estão sozinhas e que é possível superar situações que muitas vezes parecem insolúveis.

Depois do sucesso da produção cinematográfica, premiada no Newport Beach Film Festival como melhor filme infantil e no Comic-Con recebendo dois prêmios: melhor filme de fantasia e prêmio especial do júri, Bydlowski decidiu dar continuidade ao tema com o projeto Mais Entretenimento, Menos Bullying, levando o cinema para a escola por meio de um concurso de roteiros escritos por grupos de alunos.

Projeto

O propósito deste projeto é contribuir, de maneira inovadora, para a diminuição do bullying, propondo mais entretenimentos saudáveis para os jovens.

Visa a promoção do trabalho em grupo, estímulo da criatividade, aplicação de conhecimentos das várias disciplinas ministradas na escola e de experiências pessoais, o compartilhamento de ideias e, principalmente, a cooperação entre os participantes para um mesmo fim, o de obter sucesso na realização do trabalho.

Para fazer essa conexão com as escolas, o cineasta fez parceria com a ONG Educar Contra o Bullying, que deve iniciar ainda em 2019 o concurso de roteiros com o tema: Vida na Escola.

Com acompanhamento total do cineasta, os alunos desenvolverão roteiros e o ganhador será filmado.

Já os demais serão compilados em um livro nomeado Histórias a Serem Gravadas.

“Até agora me lembro do sofrimento que senti por causa de bullying.

Não me surpreendo que muitos que passaram por esta experiência vivam para sempre presos em um passado distante e triste”, revela o cineasta brasileiro Daniel Bydlowski.

Por Redação

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts