Como ajudar pessoas com Síndrome de Burnout?

Como ajudar pessoas com Síndrome de Burnout?

Nos últimos meses acompanhamos o caso de uma jornalista que foi demitida após voltar de licença médica e que foi diagnosticada com Síndrome de Burnout – transtorno caracterizado pelo estresse e cansaço elevado relacionado ao trabalho. Esse esgotamento é um estado físico, emocional e mental de exaustão extrema, resultando do acúmulo excessivo e a diminuição do interesse em trabalhar.

Sabemos que é muito comum as pessoas se dedicarem exaustivamente a vida profissional, porém isso pode acarretar uma série de dificuldades e doenças, incluindo a Síndrome de Burnout. Entre os sintomas, podemos destacar queda na produtividade, insônia, problemas gástricos, problemas de relacionamento, mau humor e tensão muscular.

A condição foi definida em 1974 pelo psicólogo alemão Herbert Freudenberger, após constatá-la em si mesmo no início dos anos 1970. Segundo International Stress Management Association no Brasil (ISMA-BR), organização de pesquisa, prevenção e tratamento de estresse, o problema já atinge cerca de 32% da população economicamente ativa do Brasil. A principal razão para esse quadro é 72% dos brasileiros que estão no mercado de trabalho possuem altos níveis de estresse.

É possível desconfiar que se está a um passo da síndrome do Burnout quando começamos a utilizar estimulantes, como café, energéticos e refrigerante a base de cafeína, para permanecer alerta. O uso desses artifícios em excesso, além de não resolverem o problema, podem causar danos à saúde. Além disso, o distúrbio, se não tratado, pode levar a um quadro de depressão severa.

Fique atento ao menor sinal de problemas no dia a dia, busque por um profissional de psicologia que possa fazer o diagnóstico de maneira correta. Somente um psicólogo está apto a realizar uma análise mais aprofundada, identificando a síndrome e indicando o melhor tratamento. Se o problema for somente a exaustão física, a solução é descansar.

Para facilitar o acesso a um tratamento adequado e o agendamento de uma primeira consulta, o Conselho Federal de Psicologia (CFP) regulamentou recentemente uma norma que permite que profissionais de psicologia realizem sessões de terapia online, seja por meio de plataformas, aplicativos ou outras ferramentas nesse ambiente.

O importante é sempre estar atento a sua saúde mental e aos sintomas apresentados, se eles fogem do habitual no seu cotidiano, para tratar o quanto antes, evitando assim um impacto ainda maior na sua vida. Cuide-se!