Como alimentar seu cão da forma correta

Como alimentar seu cão da forma correta

Tutores devem adotar alguns cuidados para evitar problemas de saúde nos pets; especialista em comportamento animal Cleber Santos, proprietário da ComportPet, lista dicas para evitar deslizes

Crédito: Envato Elements

Entre os cuidados diários com os animais de estimação, uma merece atenção ainda maior do dono: a alimentação. Por mais que pareça uma tarefa simples, alimentar o pet está longe de apenas deixar a ração no pote e repor ao longo do dia. É preciso ter atenção, pois algumas atitude erradas do tutor podem influenciar diretamente na saúde e no bem-estar do bichinho.

“Medidas simples podem tornar a hora da alimentação mais prazerosa ou mais estressante para o animal, e isso faz toda a diferença na saúde e no comportamento do pet, influenciando diretamente na rotina”, explica Cleber Santos, adestrador, especialista em comportamento animal e proprietário da ComportPet.

Confira dicas para que a hora da comida seja feliz e saudável para seu cão:

Não colocar comida em excesso

É bastante comum que o dono queira deixar uma grande quantidade de ração ou alimento no pote, para que o cachorro possa se alimentar sempre que sentir fome ao longo do dia. Também é comum completar o pote logo que ele começa a esvaziar. Mas isso tem consequências negativas para a rotina e saúde do pet, que pode acabar comendo em excesso.

“É importante ficar atento à quantidade diária correta de ração, que varia de acordo com a idade e o peso. É cada vez mais comum cachorros com sobrepeso e um dos principais fatores, além do sedentarismo, é a alimentação inadequada. Se os donos não impuserem limites, o animal vai engordar. Essa disciplina é importante para que o cão não coma em exagero nem adquira doenças”, explica Cleber.

Alimente o cão em horários variados

Se depender dos cães, eles beliscam o dia todo, mas não pode ser dessa forma. Assim como nós, os cachorros precisam de disciplina também nas refeições. Porém, não é bom deixar o cão comer sempre em um horário fixo, pois isso fará com que ele crie uma rotina e, consequentemente, pode atrapalhar os horários do tutor.

“Uma dica é seguir os padrões que vem escrito nas embalagens das rações, indicando a quantidade correta de acordo com a raça e o peso do animal, sempre respeitando uma variação entre 1h ou 2h, em relação ao horário que o cão comeu no dia anterior.”, comenta Cleber.

Ficar atento ao comportamento do pet durante a refeição

Como seu cachorro age na hora de se alimentar? Fica ansioso e come rápido demais? Sente algum tipo de incômodo se houver outros animais por perto ou se alguém se aproxima da comida? É preciso observar algumas atitudes do seu pet enquanto ele se alimenta.

“A hora da refeição deve ser um momento de prazer e felicidade do cão. Ele precisa estar relaxado para se alimentar tranquilamente e não ter problemas com a digestão. O melhor é não brincar nesse momento e tentar evitar tumultos”, pontua.

A personalidade do cão também merece atenção. É comum que alguns cachorros não gostem de comer sozinhos. Isto significa que, se houver algum tipo de movimento na sala e ninguém na cozinha, dificilmente ele deixará o local para se alimentar, o que pode resultar em um dia inteiro sem comer.

Segundo Cleber, essas situações acontecem geralmente com cachorros que são mais dependentes do dono, precisam sempre de companhia e não estão acostumados a ficarem sozinhos. “No adestramento, conseguimos mudar esse tipo de atitude e torná-los mais independentes”, explica.

Não deixar beliscar a comida do dono

Sem dúvidas, dá uma dor no coração ver aquela carinha que os pets fazem quando pedem algo que estamos comendo, mas é preciso dizer não. “Nossos alimentos podem fazer muito mal para os cachorros, além de criar o péssimo hábito nos animais de ficarem em torno das pessoas enquanto elas comem”, comenta o adestrador.

Os alimentos que ingerimos podem ser extremamente perigosos e nocivos aos animais, principalmente os mais gordurosos ou que contenham açúcar. O cachorro precisa de uma alimentação balanceada e feita com os nutrientes e vitaminas adequados e específicos para a saúde e as necessidades de cada raça.

Segundo Cleber, a mania de pedir comida para as pessoas é uma das mais difíceis de ser corrigida, mas é possível. “O treinamento pode resolver esse tipo de problema, mas é importante que os donos tenham disciplina para dizer não e não incentivem esse costume dos pets”.

Evitar atividades físicas após a refeição

Assim como os seres humanos, os animais também precisam de um tempo para a digestão dos alimentos. Por isso, é fundamental que os donos contenham as brincadeiras e atividades físicas dos pets logo após a refeição, mesmo que o pet esteja bastante agitado e queira se divertir com uma bola ou brinquedo.

“É comum que os donos não deem tanta atenção a esse detalhe e queiram brincar a qualquer momento do dia, mas é preciso cuidado. Alguma atividade muito intensa pode causar vômitos e congestão no animal. O ideal é esperar cerca de 1 hora”, comenta Cleber.

Também por essa razão é importante uma disciplina e rotina na alimentação do pet. Se houver horários certos do dia para a refeição, ficará mais fácil se organizar para não passear com seu companheiro logo depoi, nem correr o risco de se esquecer e fazer alguma brincadeira mais intensa.