Como será o meio de pagamento do futuro?

Como será o meio de pagamento do futuro?

Esquecer a carteira até pouco tempo atrás era imperdoável: não restava alternativa senão deixar as compras no local e voltar para buscar o dinheiro. Hoje, porém, a história é outra. Em muitos casos, é possível fazer compras e efetuar o pagamento diretamente em um aplicativo no smartphone. Essa mudança significativa no hábito das pessoas é um exemplo de como o avanço da tecnologia alterou os meios de pagamento e o mercado como um todo. Poucas áreas passaram por tantas transformações como o setor financeiro neste início de século. Diante disso, quais são as próximas novidades que prometem melhorar a experiência das pessoas? Confira algumas tendências esperadas para os próximos anos:

Non-cash e, no futuro, non-card

Fazer transações em dinheiro vivo já está em desuso há algum tempo. O World Payment Report de 2018, realizado pela Capgemini e o banco BNP Paribas, mostra que movimentações non-cash aumentaram 10,1% entre 2015 e 2016 e devem ter um crescimento médio anual de 12,7% até 2021. Entretanto, os tradicionais cartões de plástico também podem perder espaço nos próximos anos. A consolidação de soluções como os cartões virtuais faz com que os “pagamentos invisíveis” sejam uma realidade cada vez maior entre os usuários.

Pagamentos em todos os lugares

Dessa forma, é um caminho natural que soluções de pagamentos ultrapassem os smartphones e avancem em outros recursos tecnológicos que possuem conexão com a Internet. Atualmente, alguns acessórios “vestíveis”, como os relógios inteligentes e algumas pulseiras, já possuem aplicações que realizam transações financeiras. No futuro, outros itens podem ter essa facilidade. Já imaginou, por exemplo, conseguir fazer compra no supermercado e efetuar o pagamento na porta de sua geladeira?

Blockchain e as criptomoedas

O ano de 2018 pode não ter sido fácil para as criptomoedas. O Bitcoin, o nome mais famoso delas, teve uma desvalorização de 80% após atingir o pico de sua cotação em novembro de 2017. Mesmo assim, elas seguem em alta como uma tendência para os pagamentos no futuro pela facilidade, comodidade e segurança das transações no ambiente digital. Além disso, a tecnologia Blockchain, que registra as transações e evita fraudes, já serve de base para diferentes soluções do sistema financeiro.

Segurança muito além da biometria digital

A autenticação biométrica não chega a ser tendência: já é largamente utilizada pelas instituições financeiras para garantir segurança nas transações. Entretanto, o modelo mais comum utilizado é a identificação pela digital dos dedos. Como a preocupação com a segurança é uma constante, outros métodos já começam a ser testados pelas empresas do setor. Entre as opções estão o reconhecimento da íris nos olhos ou da voz e até mesmo uma selfie para identificar o rosto do usuário. Isso ajuda, por exemplo, a diminuir a quantidade de senhas e códigos que a pessoa precisa inserir.

Experiência do usuário na base do desenvolvimento de produtos e serviços

O avanço da tecnologia inverteu o poder de decisão nas instituições financeiras. Se antes o consumidor recebia passivamente as opções de pagamentos existentes, hoje ele valoriza empresas que levam em conta suas opiniões e interesses. De fato, as principais soluções desenvolvidas são aquelas que colocam a experiência do cliente na base do planejamento e que consegue, assim, resolver problemas reais das pessoas. Isso explica, por exemplo, o aumento de parcerias entre os bancos e as fintechs, startups conhecidas por criarem serviços inovadores e eficientes.

Receba nossas novidades, assine nossa newsletter!

Especial Mulher

Slider