Conheça 7 coisas feitas com impressora 3D

conheca-7-coisas-feitas-com-impressora-3d

Tecnologia produz desde alinhadores ortodônticos a órgãos humanos

Em tempos da era da Indústria 4.0, nunca se falou tanto sobre tecnologia para automação e troca de dados, e o conceito de que o futuro é agora foi potencializado pelas impressoras 3D. No entanto, apesar de já ser uma realidade, muitas pessoas ainda não conseguem ter uma dimensão do que é possível fazer com essa nova tecnologia. Inicialmente utilizadas para a produção de protótipos, hoje, as impressoras 3D são capazes de criar qualquer coisa. De alinhadores ortodônticos a órgãos humanos. Confira a seguir uma lista de objetos que criados com a impressora 3D.

Alinhadores Ortodônticos

Alinhadores ortodônticos

Foi-se o tempo em que o tratamento ortodôntico precisava ter início em um processo demorado e desconfortável. Com a tecnologia 3D, empresas como a Smilink conseguem criar o molde da arcada dentária sem utilizar os habituais moldes de gesso. “Os moldes de gesso, além de serem demorados, são extremamente desconfortáveis de serem feitos. Com a tecnologia 3D, o paciente tem a boca escaneada em um processo de, no máximo, 15 minutos, e em, aproximadamente, 10 dias já recebe os alinhadores removíveis para dar início ao tratamento”, explica Marcos Boysen, CEO da Smilink. Além das facilidades na produção, os alinhadores em 3D também possuem um custo inferior ao tradicional. Economia no tempo e no bolso!

Chocolates

Chocolates

Parece sonho, mas não é. As impressoras 3D também imprimem comida de verdade. Algumas delas são capazes de criar sorvetes e frutas, graças à tecnologia de gastronomia molecular. No entanto, o grande destaque fica para a loja Miam Factory, na Bélgica. A empresa conta com três impressoras especializadas em chocolate, desenvolvidas na Universidade de Liege, que podem imprimir doces com a forma que o cliente quiser.

Carros

Obras de arte

Alguns artistas têm apostado na tecnologia 3D como forma de expansão do mercado da arte. É o caso do brasileiro Hermes Santos, que produz esculturas em diversos formatos. O artista expõe suas peças na Artluv, uma art-tech que conecta artistas a clientes e amantes de arte. Os preços variam entre R$ 3.216,00 e R$ 28.500,00. Uma obra única do artista plástico pode levar meses para ficar pronta, levando em consideração a origem imaginativa, até a sua exposição, passando pelos processos de pesquisa incansáveis, desenhos de projetos, inserção em computadores, impressão em 3D e acabamento final.

Carros

Carros

Ainda não é a era dos carros voadores, mas já é possível ver automóveis serem impressos. E, por mais futurístico que isso possa parecer, o primeiro carro utilizando essa tecnologia foi apresentado há 4 anos, na mostra internacional Manufactoring Technology Show, em setembro de 2014. Desenvolvido pela Local Motors, o Strati, como foi chamado, foi testado por jornalistas presentes no evento, em Chicago. Atualmente, a grande aposta do ramo automobilístico é o LSEV, carro criado pela Polymaker, que pode chegar ao mercado da Ásia e da Europa no segundo trimestre de 2019.

Roupas

Roupas

A tecnologia 3D também invadiu o mundo da moda. A estilista israelense Danit Peleg foi pioneira na venda em escala mundial de peças impressas em 3D. Foram feitas 100 unidades da Jaqueta Bomber, vendida por US$ 1.500. “Um dia a gente vai poder fazer o download do modelo e imprimir em casa”, acredita Danit. Na Copa do Mundo de 2014, a Nike fabricou bolsas impressas tridimensionalmente exclusivamente para os atletas da competição.

Casas

Casas

Uma empresa sediada em São Francisco ergueu uma casa inteira, de 38 me², em 24h, tudo isso utilizando a tecnologia 3D, por meio de uma máquina parecida com um guindaste e uma impressora tamanho família. Se isso tudo não fosse o suficiente, o preço do trabalho também é surreal: A casa de 38 metros quadrados custa um pouco mais de US$ 10 mil, e, graças à mistura de concreto utilizada no projeto, tem uma expectativa de vida de cerca de 175 anos.

Órgãos

É isso mesmo. Órgãos! Mais especificamente, pele humana. Cientistas da Universidade de Toronto, no Canadá, anunciaram a criação de uma impressora portátil capaz de produzir epiderme. Essa tecnologia permite aplicar camadas de tecido diretamente em pacientes, visando cobrir ou curar ferimentos. A criação dos canadenses surge como uma alternativa aos enxertos convencionais, já que não exigem que a pele saudável seja retirada de um doador. O tecido é feito com biotinta, uma tinta feita de células humanas. No final de 2016, pesquisadores espanhóis já tinham apresentado uma impressora 3D capaz de produzir pele humana. As peles impressas são utilizadas para testes de medicamentos e cosméticos. Apesar dos resultados positivos, uma série de estudos ainda precisa ser feita até que a tecnologia possa ser usada em humanos.

Sobre a Smilink
A Smilink é uma startup do mercado odontológico que planeja revolucionar o mercado de ortodontia. Fundada em 2018 pelo argentino Marcos Boysen e pela ortodontista Letícia Barbosa, a empresa oferece alinhadores transparentes produzidos por meio de tecnologia de impressão 3D, que podem ser usados para fins estéticos e corretivos, além de clareamento. Com um modelo de negócio disruptivo, que vende o produto diretamente para o consumidor, a empresa prioriza a experiência e o tempo do paciente, aliando serviço de alta qualidade a preços acessíveis.

Sobre a Artluv
Fundada em agosto de 2017 por Wendell Toledo, a Artluv é uma art-tech que conecta artistas a clientes com o objetivo de expandir o mercado de arte no Brasil. O site reúne, em um único ecossistema, marketplace, agenda cultural e um portal de notícias, conectando artistas, clientes e amantes de arte. A ideia surgiu de uma necessidade pessoal do fundador de vender um quadro de seu acervo particular. Hoje, o site reúne cerca de 300 artistas, aprovados por uma rigorosa curadoria feita por especialistas do Brasil e dos Estados Unidos, possui uma demanda diária de novos portfólios e realiza cerca de 15 transações por semana.