Coragem de existir – Por uma vida digna de ser vivida

tai-qi-1583805_960_720

“Porque no fundo nós não tememos a morte. No fundo, nós tememos a vida”

Quem nunca temeu o próprio viver? Ou até mesmo se sentiu paralisado pelo medo? Seja ele de amar, fazer escolhas, falhar diante dos outros ou até de sermos imperfeitos para nós mesmos. E dessa maneira, muitas vezes nos perdemos nesses pensamentos e transformando-os em verdadeiras resistências da nossa existência?

Inspirado nessas questões, Matheus Jacob se despede das turbulentas águas da juventude do seu trabalho inaugural “Homem que Sente” e encara o vasto oceano da maturidade em seu novo trabalho “Coragem de Existir”.

Em sua obra, Matheus Jacob convida o leitor a compreender o valor do outro para a construção de nós mesmos, o significado da coragem de existir, liberdade e a importância de exercê-la. “Compreenda o valor do eu e sua condição de igualdade com o todo existente. Compreenda o valor da vida e os caminhos necessários para percorrê-la. Ordem e caos. Conflito e união. Compreenda o tempo, o seu passado, o seu futuro. Compreenda o amor pela sua própria existência. Compreenda tudo o que for preciso para o seu verdadeiro existir. Mas, principalmente, exista”.

Para Matheus Jacob, a coragem de existir nos faz viver, já o medo de viver nos faz inexistir. “Porque no fundo, nós não tememos a morte. No fundo, nós tememos a vida. Aos poucos, todo mundo morre. Não facilite a tarefa, deixando de viver. Coragem, caro leitor. Coragem!”.

Anônimo em seus primeiros textos, Marcos Jacob tornou-se um dos autores mais lidos das redes sociais com apenas 30 anos de idade. Lançou em 2016, o seu primeiro livro “O Homem Que Sente”, uma coletânea de crônicas inéditas e outras publicadas anteriormente com o mesmo alter ego. É mestre em filosofia e dedica-se atualmente ao entendimento de filosofias do cotidiano como o amor, a felicidade e a ética, e à busca pela vida digna de ser vivida.

*Por Matheus Jacob