Crianças e Adolescentes – Segurança na Internet e Pandemia

Crianças e Adolescentes – Segurança na Internet e Pandemia

Crianças e Adolescentes – Segurança na Internet e Pandemia

Segurança na internet é um assunto sério e muito se discute por especialistas, mas pouco se atenta no ambiente familiar. O avanço e a conquista das tecnologias é algo maravilhoso, através dela o que hoje é comum, para quem vivenciou achegada de tais recursos sabe muito bem o que mudou e quanto isso facilitou nossa vida.

Eu vivenciei a chegada do computador, e-mail, comunicadores instantâneos, celular, tablets, etc. Sou da época em que uma ligação para o exterior era muito caro e não existia internet para o usuário comum, como somos hoje.

Portanto, é um mar cheio de ondas que representam a atualidade e novidades chegando a todo tempo. Podemos exemplificar mencionando vários aplicativos. Mas vamos além, tudo isso impacta e transforma nossa forma de viver, incluindo a forma de convívio social e hábitos cotidianos.

O grande desafio é fazermos uso correto, seguro e responsável de tais recursos e mais o que isso, sermos exemplos positivos na vida de nossos filhos, pois apesar tudo que foi criado para o bem historicamente acaba sendo utilizado também para o mal, assim foi com avião, pólvora, a roda.

Vamos utilizar como exemplo uma tecnologia mais recente, gravador de DVD (se é que ainda existe) ou até mesmo o Pen drive. Tais dispositivos foram criados para armazenar conteúdos lícitos, mas também são utilizados para armazenar conteúdos ilícitos, a questão não é o dispositivo em si, mas sim o ser humano que faz uso inadequado de tais recursos.

Um ponto crucial no uso da internet tem uma ligação direta com valores humanos, valores relacionados a empatia e respeito, por exemplo, pois acima da lei, ideal seria se houvesse respeito mútuo, mas infelizmente o ser humano, muitas vezes perde a compostura, ou melhor perde a “cabeça”  e no calor das emoções acaba por cometer pequenas ou grandes infrações que podem prejudicar terceiros e muitas vezes a si mesmo.

Portanto, a questão comportamental é intrínseca ao ambiente em que vivemos, comentário este que nos remete a um conceito essencial da sociedade digital, pois muitas pessoas fazem referência ao “ Mundo virtual e Mundo Real”, mas na verdade vivemos em um único mundo onde temos a tecnologia ( ambiente virtual) como uma ferramenta que permite muitas facetas e entre elas a comunicação.

Mas sinalizo como fato: nossas ações no ambiente virtual geram consequências bem reais.

Mas quais são os principais cuidados e alertas em relação aos filhos:

1- Não existe privacidade entre pais e filhos menores de 18 anos. Obviamente que na fase da adolescência precisamos respeitar a individualidade e incentivar a valorização da privacidade, mas em contra partida é preciso orientá-los sobre os riscos e possíveis situações para que possam seguir por caminhos mais seguros.

2- Cuidado com as brincadeiras perigosas, normalmente desafios que podem provocar situações até mesmo de óbito. (Prender a respiração, cheirar canela, segurar gelo, tirar foto em lugares perigosos, etc.)

3- Dar um celular para os filhos, sejam meninos ou meninas, é preciso muita segurança. Procure identificar a maturidade das crianças e não se esqueça de impor regras. Tudo é uma troca, seja para horários, tempo de uso, conteúdos acessados e principalmente sobre conversa com estranhos. Além disso, é preciso orientá-los sobre os cuidados em relação às fotos e vídeos.

4- Fique atento às nudes, seja para que seu filho ou filha não as faça e também para que ao receber não compartilhem, pelo contrário, apaguem, pois seu armazenamento e disseminação podem caracterizar Ato Infracional e além de ser encaminhado para Vara da Infância e da Juventude, os pais ainda podem responder processo civil.

 Lembrem-se que em tempos de pandemia, onde estamos em home office e nossos filhos presos em casa, o uso de tais recursos tendem a intensificar e obviamente os riscos também.

Por fim, você deve estar pensando que não é fácil lidar com esse tema e que por certo que ao abordar os filhos estes não vão querer dar ouvidos. Por este motivo que o papo aberto, aquela conversa informal é de grande valia, mostrar casos reais e notícias surtem muito efeito.

Cristina Sleiman é advogada especialista em Direito Digital, atuante em aspectos jurídicos da Segurança da Informação e Proteção de Dados Pessoais ([email protected])

https://m.polishop.vc/novafamilia/

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts