Empresas aéreas criticam mudança no início do horário de verão

Cias Aéreas



Abear afirma que alteração do horário pode prejudicar o passageiro

A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) se posicionou nesta quinta-feira (4) contrária à decisão do governo federal, de mudar a data de início do horário de verão, do dia 4 para o dia 18 de novembro. A medida foi anunciada por conta do Enem, a pedido do Ministério da Educação. De acordo com a associação, a mudança trará sérias consequências para pelo menos 3 milhões de passageiros das suas companhias associadas – Avianca, Azul, Gol, Latam e TAP.

“A antecedência na definição do período do horário de verão é fundamental para garantir o pleno funcionamento do setor aéreo, seja em voos domésticos (onde há diferentes fusos horários), seja em voos internacionais”, sustenta a entidade, destacando que 42 mil voos de empresas associadas à Abear estão programados para o período. “Mudanças em curto período impactam toda a operação das companhias aéreas”.

Em nota, a ABEAR informa que solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Secretaria de Aviação Civil (SAC), Casa Civil e ministérios dos Transportes e Minas e Energia a manutenção da data prevista de início do horário de verão, dia 4 de novembro. O horário de verão é adotado nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal.

Receba nossas novidades, assine nossa newsletter!

Especial Mulher

Slider