Empresas aéreas criticam mudança no início do horário de verão

aviao

Empresas aéreas criticam mudança no início do horário de verão

Empresas aéreas criticam mudança no início do horário de verão : Abear afirma que alteração do horário pode prejudicar o passageiro.A Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR) se posicionou nesta quinta-feira (4) contrária à decisão do governo federal, de mudar a data de início do horário de verão, do dia 4 para o dia 18 de novembro. A medida foi anunciada por conta do Enem, a pedido do Ministério da Educação. De acordo com a associação, a mudança trará sérias consequências para pelo menos 3 milhões de passageiros das suas companhias associadas – Avianca, Azul, Gol, Latam e TAP.

“A antecedência na definição do período do horário de verão é fundamental para garantir o pleno funcionamento do setor aéreo, seja em voos domésticos (onde há diferentes fusos horários), seja em voos internacionais”, sustenta a entidade, destacando que 42 mil voos de empresas associadas à Abear estão programados para o período. “Mudanças em curto período impactam toda a operação das companhias aéreas”.

Em nota, a ABEAR informa que solicitou à Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Secretaria de Aviação Civil (SAC), Casa Civil e ministérios dos Transportes e Minas e Energia a manutenção da data prevista de início do horário de verão, dia 4 de novembro. O horário de verão é adotado nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e o Distrito Federal.

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Gente ajudando Gente!

Gente ajudando Gente! Nesse momento o mais importante é a união. Muitos de nós estão passando por momentos difíceis (emocional, depressão e financeiro). Precisamos nos

Continuar Lendo »