Estágio é a porta de entrada para o mercado de trabalho

estágio

Estágio é a porta de entrada para o mercado de trabalho

Estágio é a porta de entrada para o mercado de trabalho. Número de vagas cresceu 6,1% em 2019; competências emocionais estão em alta e representam, hoje, 80% do sucesso profissional São Paulo, 10 de setembro de 2019 – Competência emocional hoje é diferencial de carreira.

Pessoas são contratadas todos os dias por suas habilidades técnicas e desligadas por inabilidades emocionais – aquelas ligadas às emoções diárias. Encontrar motivação em situações desafiadoras, não surtar com o colega de trabalho porque ele pensa e age diferente de você, saber lidar com pressão e ter equilíbrio para buscar soluções criativas para problemas cotidianos, aumentam o potencial e a performance de trabalho do profissional.

Ao iniciar um curso superior ou técnico, muitos estudantes iniciam a busca por vagas de estágio, uma etapa fundamental para o desenvolvimento da carreira. Mas, além de se preparar tecnicamente para fortalecer o currículo, os jovens precisam mais do que nunca ser capazes de gerenciar suas emoções, o que também faz diferença para se destacar em qualquer processo de estágio.

Estágio

Com o índice de desemprego no Brasil em 11,8%, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), divulgada pelo Instituo Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o estágio vem sendo uma importante porta de entrada para o mercado. O número de vagas cresceu 6,1% nos sete primeiros meses de 2019, de acordo com dados divulgados pelo Centro de Integração Empresa-Escola (CIEE).

“Logo no início da carreira, o estágio é um caminho interessante por proporcionar ao estudante o conhecimento e as experiências práticas que vão aperfeiçoar competências e habilidades como futuro profissional. E ficar de olho no aperfeiçoamento das habilidades comportamentais pode ser a diferença entre ser escolhido ou preterido”, afirma Liamar Fernandes, master coach da SBCoaching.

Enquanto o estudante busca por oportunidades que lhe ofereçam os melhores benefícios e planos de carreira, as empresas estão de olho em habilidades como liderança, proatividade, trabalho em equipe, versatilidade e comprometimento. Atualmente, a inteligência emocional é responsável por 80% do sucesso profissional, enquanto os outros 20% são atribuídos ao conhecimento técnico, segundo o CIEE.

“O jovem precisa saber que o conhecimento técnico, por melhor que seja, pode ser descartado, se ele não desenvolver competências emocionais que façam a diferença no ambiente profissional. A empresa pode oferecer cursos e treinamentos, mas ela não molda aspectos comportamentais na pessoa”, reforça Liamar.

Como preparar um currículo

Para estudantes que buscam uma vaga de estágio e se preparam para o mercado de trabalho, a master coach listou dicas sobre como preparar um currículo, valorizar as principais competências e se comportar em uma entrevista de emprego:

  • Elabore um currículo claro e objetivo, sem fotos ou decoração;
  • Deixe claro a área de interesse ou a nova colocação;
  • Pontue sinteticamente o que já fez profissionalmente e os resultados obtidos;
  • Valorize as suas principais habilidades emocionais: isso é diferencial;
  • Apresente experiências positivas nas empresas onde trabalhou, o período,quais eram suas responsabilidades em cada uma, de forma objetiva;
  • Liste suas formações, idiomas e cursos extras, caso tenha feito;
  • Insira trabalhos voluntários, acadêmicos ou em ONGs, pois são bem avaliados e dão destaque.

Vai encarar o recrutador? A entrevista é muito importante! Ela é o ponto de encontro entre a organização e o futuro profissional e, por ela, é que ocorre a análise das competências e habilidades, então:

  • Apresente-se com confiança, isso faz toda a diferença;
  • Explore a linguagem corporal a seu favor, mas sem exageros;
  • Preste atenção ao perfil do recrutador e se adapte;
  • Mantenha uma boa postura diante do entrevistador, isso passa segurança;
  • Estude o perfil da empresa e prepare-se para todo tipo de pergunta;
  • Não fale gírias e cuide do seu vocabulário: saber se expressar corretamente, sem erros de português, é fundamental;
  • Seja pontual: pontualidade fala muito sobre você;
  • Não use o celular: o foco é a entrevista;
  • Jamais minta sobre conhecimentos que você não tem.

Por Redação

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Veja os últimos posts