Estrangeiros aliam cirurgia plástica com turismo no Brasil

Especialista da dicas para rejuvenescer a pele sem cirurgia

O bisturi nacional faz sucesso e atrai pessoas de diversos países

A tendência na globalização do mercado de cirurgia estética faz crescer, cada vez mais, o turismo de saúde. Diversos países estão investindo nesse segmento turístico com foco em atrair pacientes de países europeus e também dos Estados Unidos. Há duas décadas a cirurgia plástica brasileira é pioneira em atrair pacientes internacionais. Conforme estimativas da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (2016), o Brasil realiza, anualmente 1.472.435, sendo 57% estéticas e 43% reparadoras. Destas, cerca de 3% são realizadas para estrangeiros.

A Rede de Notícias americana CNN já reconheceu em seus noticiários que a qualidade e a quantidade de procedimentos feitos no país está relacionado com a beleza dos brasileiros, exposta sem inibição nas lindas praias do nosso litoral. Dados da Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética também já demonstram que o país passou os Estados Unidos em número de realizações de cirurgias, que representam quase 13% das operações de cirurgia plástica do mundo.

Segundo Julia Lima, presidente da ABRATUS (Associação Brasileira de Turismo de Saúde), o interesse pelos cirurgiões plásticos brasileiros também é por causa dos preços, considerados competitivos se comparados a outras nações. Um procedimento cirúrgico no Brasil pode custar até 70% menos que um similar realizado nos Estados Unidos, por exemplo. Outro atrativo são os invejados “padrões” de beleza brasileiros, que sempre se destacaram no exterior. Há alguns anos, a “brazilian bikini wax” (depilação à brasileira) foi “importada” pelas americanas e ganhou fama no mundo inteiro; e o “brazilian butt lifts” (bumbum brasileiro empinado) tem estimulado inúmeras cirurgias aqui no Brasil e também nos Estados Unidos. A busca pelo corpo sexy vem substituindo o visual anoréxico das modelos que aparecem nas passarelas internacionais.

“Um grande difusor da cirurgia plástica brasileira foi o professor Ivo Pitanguy que, além de criador de várias técnicas — muitas delas utilizadas até hoje —, também colaborou na formação de profissionais por todo o mundo, o que persiste até então. Por outro lado, contamos também com um aperfeiçoamento diário proveniente da cultura de nosso país, cujos padrões de beleza cobram de nós resultados cada vez melhores, com cicatrizes cada vez menores e escondidas. E, justamente pelos contornos peculiares de ‘fama’ mundial das brasileiras, os procedimentos mais procurados pelos estrangeiros são as cirurgias do contorno corporal (lipoescultura, abdominoplastia e mamoplastia) e o ‘lifting facial'”, explica o cirurgião plástico Márcio Ferreira.

A clínica do Dr. Ferreira já atendeu pacientes de 19 países: “São latinos, asiáticos e há um certo predomínio de países de língua inglesa, como os EUA e a Inglaterra. Esse movimento acontece de forma variada ao longo de todo o ano; muitas vezes o paciente estrangeiro vem acompanhado de amigos brasileiros. Em paralelo à alta tecnologia, oferecemos às pessoas atendimento de excelência, com muito cuidado e atenção, algo genuinamente brasileiro”.

Segundo ele, o primeiro contato com o paciente estrangeiro é on-line: “Recebemos fotos e relatos das queixas e expectativas, solicitamos e recebemos resultados de exames, o que permite uma primeira indicação cirúrgica. Mesmo assim, a primeira consulta médica logo na chegada ao país é indispensável. Dessa maneira, o paciente já chega ao Brasil com tudo agendado e pronto para recebê-lo e tratá-lo. Após a partida, a assistência on-line dura de seis meses a um ano”.

Para o cirurgião, o trabalho desenvolvido pela ABRATUS gera ainda mais credibilidade às empresas brasileiras no mercado internacional, sendo uma vitrine para que o mundo possa conhecer e desfrutar de ótimas experiências em nosso país. “Para os países que tentam atrair turistas-médicos de nações mais desenvolvidas, o maior desafio é convencer pacientes estrangeiros em potencial de que eles podem oferecer assistência, conhecimento, instalações e tecnologia que sejam comparáveis ou melhores que os países de origem. Estamos empenhados em tornar ainda mais notório ao mundo que o Brasil tem condições de receber mais turistas em busca de saúde, beleza e bem-estar”, complementa Julia Lima.

Sobre a ABRATUS:

Fundada em 2011, a ABRATUS tem como objetivo alavancar ainda mais o turismo de saúde no Brasil por meio da gestão de um novo corpo diretório. A organização social trabalha para integrar e certificar mercados e serviços, desenvolvendo e promovendo o Brasil para pacientes de todo o mundo como o melhor destino turístico de saúde. Para que empresas relacionadas diretamente ou indiretamente ao turismo de saúde se associem e tornem-se parceiras, é necessário acessar o formulário no site da associação (www.abratus.org.br) ou enviar um e-mail para join@abratus.org e, assim, participar do processo de certificação e usufruírem de conteúdos, estratégias e lucratividades com todo o apoio da associação.

Receba nossas novidades, assine nossa newsletter!

Especial Mulher

Slider