Mobilidade aérea urbana no Connected Smart Cities e Mobility

transporte aéreo urbano

Mobilidade aérea urbana no Connected Smart Cities e Mobility

Com o objetivo de incluir o transporte aéreo na pauta da mobilidade urbana do Brasil, o Connected Smart Cities e Mobility apresentarão as tendências mundiais, integração e conectividade para esse segmento, destacando os serviços que já estão em operação no país

Mobilidade aérea urbana no Connected Smart Cities e Mobility. Nos dias 17 e 18 de setembro, São Paulo recebe o Connected Smart Cities e Mobility, mais importantes iniciativas de cidades inteligentes e mobilidade do país, respectivamente. Os eventos acontecem no Centro de Convenções Frei Caneca, na capital paulista, e irão reunir especialistas nacionais e internacionais e exposição de empresas, que apresentarão as tendências mundiais para o transporte aéreo urbano, destacando como a integração e a conectividade podem revolucionar a forma de os brasileiros se locomoverem nos próximos anos.

Entre os temas do Connected Smart Mobility, Tendências se destaca e traz o conceito MaaS – Mobilidade como um serviço, que visa oferecer aos usuários soluções de mobilidade com base em suas necessidades de viagem. “Teremos uma abordagem ampla e efetiva com o objetivo de apresentar os melhores caminhos para o Brasil quando se trata da mobilidade aérea urbana, no sentido de acompanhar as tendências mundiais e discussões de políticas para esse setor. Voltado ao tema, o evento contempla o Painel Mobilidade aérea, drones, EVTOL: Como o Brasil está se preparando para as novas tendências que irão mudar o cenário de mobilidade urbana no mundo, entre outros painéis”, enfatiza a idealizadora das plataformas Connected Smart Cities e Mobility e diretora executiva da Sator, Paula Faria.

De acordo com o diretor da Airbus Urban Air Mobility – América Latina, Darcy Olmos Mancilla, até 2030, 60% da população mundial será urbana, 80% da qual viverá em países de renda baixa ou média, com 90% do crescimento da população urbana vindo de países em desenvolvimento. “A América Latina já é muito urbana, onde mais de 80% das pessoas vivem em áreas urbanas e a previsão é que essa proporção se aproximará de 90%. A nossa região representa 8% da população mundial, mas temos 11 das 100 cidades mais poluídas do mundo e, em termo de congestionamento, o tempo extra perdido (em média por ano) pelas pessoas, em São Paulo, é de 154 horas e de cerca de 199 horas, no Rio de Janeiro, ao mesmo tempo que a quantidade de carros no Brasil é de 90 a 100 milhões e esse número continua crescendo”, disse.

Palestrante na Cerimônia de Abertura dos eventos e em painéis sobre o tema, Mancilla cita que mobilidade aérea urbana é mais do que um veículo elétrico que decola e pousa na vertical ou um “táxi voador”. “Ao contrário, é um ecossistema completo que precisa ainda ser criado e, considerando as características de um país como o Brasil e a nossa presença local há mais de 40 anos, representa uma grande oportunidade de criarmos juntos o próximo capítulo da aviação e da mobilidade, ao abraçarmos a inovação. Isso tudo está totalmente alinhado com o Connected Smart Cities e Mobility.”

Infraestrutura

O presidente do Instituto Brasileiro de Aviação (IBA) e sócio da CFLY Aviation, Francisco Lyra, um dos palestrantes sobre o tema Mobilidade Compartilhada, com foco na desmitificação da aviação executiva como um transporte de luxo e integração na mobilidade urbana, afirma que o empresário que utiliza a aviação privada está apenas praticando ativamente a gestão eficaz de seu próprio tempo. “Creio que, analogamente ao transporte de automóveis, a aviação executiva tem o seu papel na integração e capilaridade de um sistema de transporte.

Além disso, os sistemas de táxi e aplicativos fazem um papel intermediário e moderno de conectar os cidadãos aos seus destinos, com eficiência, compartilhamento e economia de recursos. Em uma cidade como São Paulo, onde existem sérias carências de infraestrutura de mobilidade urbana, somado ao baixo crescimento das linhas subterrâneas de metrô e à baixa velocidade nas linhas de superfície como ônibus, por exemplo, o transporte aéreo urbano desponta como uma solução viável, exequível e de curto prazo e investimentos de implementação”, disse.

Regulamentação

Para o Chefe do Subdepartamento de Operações do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), Brigadeiro do Ar Ary Rodrigues Bertolino, não há como se falar em mobilidade aérea, delivery e EVTOL, por exemplo, considerando apenas o gerenciamento de tráfego aéreo (ATM). “Apesar de 75 anos de ATM bem regulado e consolidado, para atender o novo cenário de mobilidade aérea urbana é necessário o estabelecimento de um cenário que comporte, com segurança, as crescentes demandas de drones. Estão sendo feitas parcerias, reuniões, possíveis contratações e grupos de trabalho para definição dos requisitos que atendam às necessidades advindas da mobilidade aérea urbana. É preciso garantir que todos esses players dividam o mesmo ambiente aéreo com segurança. Nesse sentido, para que seja possível a implantação de projetos de mobilidade urbana, faz-se necessário o estabelecimento de parcerias entre a Indústria, a Academia e as Autoridades Reguladoras.”

Connected Smart Cities e Mobility

A 5ª Edição do Connected Smart Cities reunirá os diversos agentes relacionados aos governos, empresas e entidades nacionais e internacionais. Com foco na mobilidade do Brasil, o Connected Smart Mobility trará uma Agenda Estratégica e, nesse sentido, a programação do evento contempla os temas: mobilidade para as pessoas, mobilidade ativa, mobilidade compartilhada, veículos elétricos, análise de dados, conectividade & integração e tendências.

“Essa edição dos eventos conta com muitas novidades que, além de formato inovador, arena de drones, espaço relacionado à Agenda Estratégica sobre o tema e geotcnologias; Contempla ainda: sorteio de passeio de helicóptero (alinhado com a pauta de mobilidade aérea urbana); exposição de tecnologias e soluções para cidades inteligentes; espaço voltado para as startups do setor; test drive de patinetes e bicicletas; Experiência de realidade virtual; Relax lounge com quick massage; Espaço Speed Dating com tela de LED com as informações das reuniões; Fórum com a participação dos mais importantes especialistas nacionais e internacionais no setor; entre outros diferenciais. São cerca de 300 palestrantes e 90 painéis, com apresentações simultâneas em 9 palcos, além da presença de prefeituras e 60 entidades nacionais e internacionais. Durante a Cerimônia de Abertura dos eventos, teremos o anúncio do Ranking Connected Smart Cities 2019”, comenta Paula Faria.

Serviço

Connected Smart Cities e Mobility
Data:
17 e 18 de setembro de 2019
Local: Centro de Convenções Frei Caneca, Rua Frei Caneca, 569, Consolação, São Paulo/SP

Por Eliane Jerônimo Bueno: Assessoria de Comunicação e Imprensa do Connected Smart Cities e Mobility

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »