GRAACC utiliza robôs e algoritmos no tratamento oncológico infantil

GRAACC utiliza robôs e algoritmos no tratamento oncológico infantil

GRAACC utiliza robôs e algoritmos no tratamento oncológico infantil

Hospital aplica treinamentos com bonecos robôs que permitem experimentar de maneira dinâmica as mais variadas “reações humanas” nos atendimentos de crianças e adolescentes com câncer

A sala de simulação realística do Hospital do GRAACC possibilita que funcionários e estudantes de medicina realizem treinamento com o uso de bonecos robôs que permeiam as primeiras fases do desenvolvimento humano como: recém-nascido, infância e adolescência.

A inteligência aplicada torna possível o aprendizado de profissionais pela prática de diversas situações compatíveis com a realidade do cotidiano hospitalar.

Por se tratar de um grande investimento em avançadas tecnologias com metodologia inovadora de treinamento, existem poucas instituições especializadas de saúde que utilizam e atingem melhores resultados no dia a dia dos profissionais que atuam em Oncologia Pediátrica.

“O treinamento por meio de simulação realística permite um ambiente participativo e de interatividade, utilizando cenários clínicos. Sabemos que o adulto retém mais informações quando vivencia a situação e por isso é tão eficaz, como estratégia de ensino”, afirma Fernanda Ribeiro Araújo Oliveira, Gestora de Educação e Pesquisa do Hospital do GRAACC.

Simulação de Emergências

Suas funcionalidades incluem o uso de algoritmos que geram respostas automáticas e permitem que os profissionais e estudantes estejam inseridos em um contexto de ocorrências e administração de medicamentos para aprimorar suas técnicas em pacientes oncológicos pediátricos com sintomas como: crise convulsiva, sangramento, parada cardíaca, alterações neurológicas, sudorese excessiva, entre outras situações. A partir da decisão tomada pelo profissional, haverá melhora ou piora do estado clínico do “paciente”.

Segurança em tempos de pandemia

Para que essas atividades não fossem interrompidas, mesmo com a chegada da Covid-19, a solução foi criar intervalos maiores para o uso da Sala de Simulação Realística e reduzir o número de profissionais durante o treinamento, para garantir o distanciamento seguro.

Desde a inauguração, em outubro de 2017, o setor de Educação Permanente proporciona em média 1,3 mil participações, sendo 15 treinamentos por ano para enfermeiros, médicos e estudantes no ambiente de simulação realística.

No futuro, o GRAACC pretende expandir o uso dessa metodologia para outras universidades e hospitais públicos, garantindo que mais profissionais da área Oncológica Pediátrica sejam contemplados.

*Por GRAACC – Instituição criada em 1991 para garantir a crianças e adolescentes com câncer todas as chances de cura. Com hospital próprio, tornou-se referência no tratamento e na cura do câncer infantojuvenil, principalmente em casos de maior complexidade. Possui uma parceria técnica-científica com a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP) que possibilita, além de diagnosticar e tratar o câncer infantil, o desenvolvimento do ensino e pesquisa. Em 2019, foram atendidos mais de quatro mil pacientes e realizadas mais de 35 mil consultas, 1400 procedimentos cirúrgicos e 22 mil sessões de quimioterapia. Mais Informações no http://www.graacc.org.br

https://m.polishop.vc/novafamilia/

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts