A idade certa para seu filho usar o celular

A tecnologia está avançando diariamente. Com isso, as crianças com pouca idade estão cada vez mais inseridas nesse mundo

318

Mesmo antes de saber falar, já é possível ver um bebê mexendo em um celular melhor do que nós adultos. A facilidade com que eles utilizam os aparelhos chega a impressionar.

Claro que é muito bacana ver seu filho ainda dando seus primeiros passos e demonstrando ser inteligente tão cedo. Quando pequenas, a maioria das crianças utilizam o aparelho apenas para brincar. E conforme vão ficando mais velhas, ter um celular próprio se torna um sonho de consumo e uma dor de cabeça na vida dos pais, que pensam se devem ou não ceder aos pedidos do pequeno.

Pode até ser útil em algumas situações como ligar para os pais quando precisar de um auxílio e não estiver em casa ou se for dormir na casa de alguém, por exemplo. Mas depois que eles crescem essa mesma tecnologia pode se tornar um problema.

O ideal antes de tudo é você conversar com seu filho, explicar para ele as vantagens e desvantagens de usar um aparelho celular por muito tempo e tentar fazer com que ele compreenda a importância de não ficar por muito tempo mexendo em aparelhos eletrônicos. E fica a dúvida: qual a idade certa para as crianças utilizarem o celular?

A idade considerada ideal

Não há nenhuma definição ou estudo comprovado de uma idade para a criança começar a utilizar celulares e aparelhos eletrônicos. Mas alguns especialistas apontam dos 12 aos 13 anos como uma idade ideal, já que a criança está amadurecendo e já entrando na fase da adolescência.

Mas há também os que digam que aos 9 ou 10 anos já pode ser o momento para esse inicio. É importante também os pais avaliarem se o uso é realmente necessário ou se é só para satisfazer o desejo das crianças. É necessário também ter limites para o uso, caso você dê um aparelho para o seu filho.

A maioria costuma levar o celular na escola e, como o uso é quase viciante, utilizam durante a aula, o que além de atrapalhar o ensino é proibido pelas escolas. Se realmente for necessário seu filho levar o celular para a escola, oriente-o para atender ou realizar chamadas somente no intervalo ou horário de saída da aula.

Para concluir, a decisão de dar ou não um celular ao filho pequeno é apenas dos pais. São eles que devem avaliar qual a melhor idade e de que forma eles irão utilizar os eletrônicos. Com uma educação voltada ao uso correto do aparelho, os pais deverão refletir para ver qual será o melhor momento para ter menos dor de cabeça no futuro.

*Por Dieverson Colombo