Mais de 9 milhões de pessoas estudam à distância no Brasil

curso a distãncia

Mais de 9 milhões de pessoas estudam à distância no Brasil

Mais de 9 milhões de pessoas estudam à distância no Brasil. Desde quando começou a despontar e conquistar seu espaço no Brasil, há pouco mais de uma década, a Educação a Distância tem ganhado cada vez mais adeptos e já é responsável por cerca de 20% das matrículas em graduação no País.

Visando a melhoria da qualidade dessa modalidade de ensino:

  • a Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED) tem se dedicado a acompanhar esse cenário em todo o território nacional e realiza anualmente um mapeamento do setor, em seus diversos aspectos.

Trata-se do Censo EAD.BR, cuja edição mais recente, de 2018, foi lançada no último dia 20/10, durante a abertura do 25º Congresso Internacional de Educação a Distância (CIAED), que aconteceu em Poços de Caldas (MG).

O levantamento, que este ano completa 11 edições, é um estudo completo e não contempla apenas os cursos regulamentados:

  • agrega também as práticas de EAD em cursos livres não corporativos e corporativos, que, juntos, já chegaram a ter 300% de matrículas a mais que os cursos regulamentados.

Além disso, o estudo ainda aponta um aumento considerável em relação à concentração no Sudeste;

  • saindo de 37%, em 2016, para 43%, em 2018

E conta com sede em praticamente todas as unidades da federação, com exceção do Amapá.

Outro dado que merece atenção é o número de alunos de todas as modalidades de Educação a Distância:

  • que passou de 7.773.828, em 2017, para 9.374.647, em 2018, ou seja, teve um crescimento de 17%.

No entanto, vale observar que esse crescimento não foi tão vertiginoso quanto o apresentado de 2016 para 2017.

O Censo EAD.BR 2018 também mostra que os alunos que mais frequentemente optam por cursos totalmente a distância estão nas faixas etárias:

  • entre 26 e 30 anos (39,3%);
  • e 31 e 40 anos (37%);
  • que, juntas, compõem 76,3% dos discentes dessa modalidade de ensino.

Em 2018, o maior índice de matrículas registrado foi o de cursos superiores de licenciatura, que soma 324.302, seguido de cursos superiores que agregam bacharelado e licenciatura (306.961).

Já os cursos que ainda não decolaram são os superiores de doutorado, que totalizam 144, e de ensino médio, tanto na modalidade regular (204) quanto na educação de jovens e adultos (EJA) (322).

Entretanto, é importante destacar que com a nova regulamentação dessas áreas, a tendência é que os cursos nesses níveis de ensino cresçam.

Segundo a coordenadora do Censo EAD.BR, Betina Von Staa, podemos afirmar que:

  • este novo levantamento mostra o quanto a modalidade de ensino vem se consolidando no mercado educacional
  • bem como de apontar as tendências para os anos subsequentes.

Além da coleta e análise de dados, o estudo reúne temas pertinentes ao universo da Educação a Distância para serem examinados com mais profundidade, sendo que para esta edição, os assuntos explorados são:

  • qualidade na modalidade a distância
  • perfil das instituições fornecedoras
  • recursos educacionais oferecidos aos alunos
  • gestão e negócios em EAD
  • práticas relacionadas à acessibilidade

A QUESTÃO DA ACESSIBILIDADE

O Censo EAD.Br 2018 mostra que apesar de estar garantida pela Constituição Federal, ao assegurar que todas as pessoas portadoras de deficiência tenham acesso à educação, à saúde, ao lazer e ao trabalho, entre outros direitos, as instituições formadoras de EAD no Brasil apresentam números baixos de investimentos nesse quesito.

Por exemplo, 18,5% não executam ações que promovem a inclusão e na melhor situação, o número ainda pode ser considerado baixo:

  • apenas 20,7% oferecem atendimento de intérpretes da Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Já em relação aos recursos tecnológicos oferecidos, nota-se uma pequena melhora, embora distante do ideal:

  • 55,56% das provas são adaptadas;
  • 52,59% dispõe de computadores com recursos de acessibilidade;
  • 28,17% proporcionam lupas e lentes de aumento;
  • 23,70% oferecem roteiros de aprendizagem diferenciados;
  • 19,26 concedem material em braile.

Para o presidente da ABED, Fredric Litto, é uma satisfação muito grande para a Associação Brasileira de Educação a Distância contribuir para o universo da EAD há tantos anos, por meio deste levantamento anual que apresenta as práticas de aprendizagem a distância nos âmbitos acadêmico e corporativo.

“O nosso objetivo é justamente oferecer a todos os interessados no tema, entre eles, profissionais atuantes na modalidade, gestores e pesquisadores da área de Educação, um estudo completo sobre o assunto”.

“A Educação a Distância é uma realidade cada vez mais presente na atual sociedade e tende a crescer progressivamente”, ressalta.

Por Redação

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Veja os últimos posts