Meningite meningocócica: como proteger seu filho da doença que causou a morte de neto do Lula

Neto de Lula Arthur morre de meningite

O Brasil acompanhou consternado a morte do pequeno Arthur Araújo Lula da Silva, de 7 anos, neto do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no início da tarde de sexta-feira. Ele foi levado para o Hospital Bartira, do grupo D’Or, em Santo André (Grande São Paulo), com um quadro infeccioso grave de meningite meningocócica, e não resistiu.

Arthur era filho de Marlene Araújo Lula da Silva e Sandro Luis Lula da Silva, filho da ex-primeira-dama Marisa Letícia e do ex-presidente Lula, que foi liberado da carceragem da sede da Polícia Federal em Curitiba (PR) para acompanhar o velório, que aconteceu neste sábado.

A doença e seus sitomas

A meningite meningocócica é uma das formas de meningite mais perigosas, altamente contagiosa, causada pela bactéria Neisseria meningitidis, também conhecida como meningococo. A bactéria fica alojada entre as meninges (membranas que envolvem o cérebro e a medula espinhal), causando inflamação (meningite).

Os sintomas da doença evoluem rápido, e incluem: febre alta, dor de cabeça intensa, vômitos, dor e rigidez da nuca (o paciente apresenta dificuldade de encostar o queixo no peito), falta de apetite, diarreia, confusão mental e sensibilidade à luz. Podem aparecer manchas roxas na pele, características da doença, e evoluir para um quadro de convulsões, delírio e coma.

LEIA MAIS: Poliomielite e sarampo, campanha precisa vacinar 5 milhões
Hepatites Virais: quanto mais silenciosa é a doença, maior é o perigo à saúde

Bebês entre 6 meses e 1 ano de idade são mais vulneráveis, e podem sofrer com irritabilidade, febre, falta de apetite, vômitos, choro agudo e convulsões, além de moleira tensa ou alta .

Os sintomas da meningite meningocócica podem se agravar em questão de horas e, devido à gravidade e intensidade dos sintomas, pode levar à morte se não for tratada a tempo. Além disso, a meningite meningocócica é facilmente transmissível pelas vias respiratórias, podendo provocar surtos e epidemias. O meningococo, causador da doença, pode ser transmitido também por um portador da bactéria que não tenha desenvolvido a meningite, já que boa parte das pessoas já possuem defesas contra ela.

Existe vacina?

Arthur neto de Lula
Arthur Araújo Lula da Silva, na frente do prédio da PF, em visita ao avô | Foto Arquivo pessoal

Existem vários tipos de meningococos, e a imunização não cobre todas as variações da bactéria. As taxas de proteção da vacina ficam em torno de 80%. Ainda assim, é a melhor forma de proteger contra o sorotipo C, o mais comum, e também de outra bactéria, a Haemophilus.

Confira quais as vacinas contra meningite disponíveis no SUS e quais são aplicadas apenas em clínicas particulares, por valores que variam de R$ 360 a R$ 800 a dose (em clínicas de São Paulo):

Na rede pública

Ao nascer
– BCG (Bacilo Calmette-Guerin). Previne as formas graves de tuberculose, principalmente miliar e meníngea
Aos 2 meses
Pentavalente, 1ª dose. Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB
Pneumocócica 10 Valente, 1ª dose. Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo pneumococo.
Aos 3 meses
– Meningocócica C, 1ª dose. Previne a doença meningocócica C
Aos 4 meses
– Pentavalente, 2ª dose. Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por Haemóphilus influenzae tipo B
– Pneumocócica 10 Valente, 2ª dose. Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo pneumococo
Aos 5 meses
– Meningocócica C, 2ª dose. Previne doença meningocócica C
Aos 6 meses
– Pentavalente, 3ª dose. Previne difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite e infecções por HiB
Aos 12 meses
– Pneumocócica 10 Valente, reforço. Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo pneumococo
– Meningocócica C, reforço. Previne doença meningocócica C
Dos 11 aos 14 anos
– Meningocócica C, dose única ou reforço. Doença invasiva causada por Neisseria meningitidis do sorogrupo C
Dos 10 aos 19 anos
– Pneumocócica 23 Valente, uma dose a depender da situação vacinal. Previne pneumonia, otite, meningite e outras doenças causadas pelo pneumococo

Fontes: Ministério da Saúde; SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações)

Em clínicas privadas

Relação de vacinas oferecidas em clínicas particulares, publicada pela Folha de S.Paulo:

Aos 3 meses
– Meningocócica ACWY, 1ª dose. Previne a doença meningocócica dos tipos A, C, W e Y. Preço: entre R$ 270 e R$ 425 a dose
– Meningocócica B, 1ª dose. Previne a doença meningocócica do tipo B. Preço: entre R$ 490 e R$ 800 a dose
Aos 5 meses
– Meningocócica ACWY, 2ª dose. Previne a doença meningocócica dos tipos A, C, W e Y. Preço: entre R$ 270 e R$ 425 a dose
– Meningocócica B, 2ª dose. Previne a doença meningocócica do tipo B. Preço: entre R$ 490 e R$ 800 a dose
Aos 7 meses
– Meningocócica ACWY, 3ª dose. Previne a doença meningocócica dos tipos A, C, W e Y. Preço: entre R$ 270 e R$ 425 a dose
– Meningocócica B, 3ª dose. Previne a doença meningocócica do tipo B. Preço: entre R$ 490 e R$ 800 a dose
Aos 12 meses
– Meningocócica ACWY, 4ª dose. Previne a doença meningocócica dos tipos A, C, W e Y. Preço: entre R$ 270 e R$ 425 a dose
– Meningocócica B, reforço. Previne a doença meningocócica do tipo B. Preço: entre R$ 490 e R$ 680 a dose
Aos 5 anos
– Meningocócica ACWY, reforço. Previne a doença meningocócica dos tipos A, C, W e Y. Preço: entre R$ 270 e R$ 370
Dos 11 aos 14 anos
– Meningocócica ACWY, reforço. Previne a doença meningocócica dos tipos A, C, W e Y. Preço: entre R$ 270 e R$ 370

Fontes: SBIm (Sociedade Brasileira de Imunizações); Geraldo José Barbosa (presidente da Abcvac, Associação Brasileira das Clínicas de Vacina); Laboratório Fleury

Comentários