Número de mulheres microempreendedoras cresce no país

1013

Número de mulheres microempreendedoras cresce no país e já alcança protagonismo significativo

De acordo com dados levantados pela MEI Fácil, cerca de 55% dos usuários da plataforma são empreendedoras femininas

São Paulo, novembro de 2018. Com muita luta e engajamento, as mulheres têm ganhado seu espaço merecido em diversos lugares na sociedade: cargos altos em grandes empresas, presença política, posições fundamentais na pesquisa acadêmica e científica entre outros. Não é diferente no empreendedorismo, em diversos setores nos quais o público feminino vem se consolidando com microempreendedoras de destaque.

Segundo dados apurados pela MEI Fácil, plataforma digital para quem já é ou quer se tornar um microempreendedor individual (MEI), cerca de 55% dos usuários da ferramenta são mulheres empreendedoras, número que reitera o crescimento do público feminino nos setores que são impactados pelo microempreendedorismo.

A concentração de mulheres ainda é maior em setores tradicionalmente conhecidos como mais femininos, como os de vestuário, vendas diretas e beleza. Nessas atividades, as mulheres representam mais do que 75% dos empreendedores.

A participação feminina também é elevada em atividades como comércio varejista e pequenos restaurantes, com participação de 48% e 57% de mulheres, respectivamente, segundo dados do Sebrae.

Mesmo em setores tipicamente dominados por homens, como construção civil e atividades industriais, a presença das mulheres existe. Em atividades classificadas como industriais, por exemplo, elas já representam 45% do total da força de trabalho empreendedora.

De acordo com Gislaine Zaramella, sócia-fundadora da MEI Fácil, essa estatística evidencia uma mudança importante que vem contribuindo para colocar cada vez mais mulheres que estejam no centro das ações. “É um movimento consistente e ficamos felizes com isso. A participação da mulher não apenas reforça o movimento saudável da sociedade, mas traz mais qualidade para o mundo empreendedor. As empreendedoras têm uma capacidade incrível de inovar e lidar com as dificuldades de trabalhar por conta própria”, afirma.

Existem diversos cases de sucesso de mulheres microempreendedoras no varejo, no comércio e na indústria. A busca por ferramentas e serviços que facilitem esses empreendimentos e aumentem a eficácia do negócio também são mostra de como o público feminino tem definitivamente ocupado esses espaços e os transformado positivamente.

“O empreendedorismo vem fazendo com que o mercado de diversos setores deixe de lado o sectarismo através do ingresso de mulheres empreendedoras, que conquistam seu espaço com muita força”, continua Gislaine.

Sobre a MEI Fácil

A MEI Fácil foi fundada em janeiro de 2017 com o objetivo de ser a grande parceira do microempreendedor individual. A empresa já atende mais de 200 mil empreendedores, em mais de 4,8 mil cidades, e oferece auxílio em processos como a obtenção de CNPJ, notas fiscais, além de serviços financeiros simplificados e de baixo custo. Ela foi recentemente premiada pela Universidade de Columbia, nos EUA, como referência global em negócios de impacto, primeira vez que uma startup da América Latina ganha o prêmio.

A empresa já captou mais de R$1 milhão, sendo a última rodada feita junto ao fundo de investimentos Yellow Ventures em 2017. O grupo já se prepara para uma nova rodada para 2018: “O crescimento que superou todas nossas expectativas. Hoje, 40% dos nossos clientes vêm por indicação, o que cria um efeito multiplicador em nossa base de relacionamento. Queremos, no futuro, expandir a oferta de serviços e produtos, sem perder em mente a questão da simplicidade” finaliza Marcelo.