Os proventos do trabalho artesanal para saúde mental

artesanato

Os proventos do trabalho artesanal para saúde mental

Os proventos do trabalho artesanal para saúde mental. Idealização e concentração, o trabalho manual exige um esforço criativo que reflete nos detalhes, que tornam cada peça única.

As vezes um hobby, outras, uma fonte de renda. O artesanato se faz presente na vida de milhares de pessoas.

Tem aquelas que produzem o material, e aquelas que não abrem mão de ter uma peça exclusiva, feita com todo o carinho e minúcias que só o artesanato tem.

Porém, você sabia que o impacto positivo de um trabalho manual, coligado com a arte, afeta diversas partes do corpo e principalmente a mente?

Trabalhar a concentração, equilibrar o emocional e desenvolver a criatividade.

Esses são fundamentos que o artesanato e trabalhos manuais estimulam com a pratica.

Essas ações atuam no cérebro como uma forma de pausar suas rotinas habituais, inclusive como forma de introspecção para melhorar a saúde emocional e manter o equilíbrio.

Segundo um levantamento com 3.545 artesãos, realizado pela Betsan Corkhill, permitiu-se concluir que o artesanato tem qualidades que são benéficas para o desenvolvimento do cérebro e da saúde emocional.

Muitos dos entrevistados afirmaram “Hoje sou mais feliz”.

Pesquisas em neurociência, mostram que artesanato, têm muito em comum com a questão da atenção plena e da meditação – é relatado que todos têm um impacto positivo na saúde mental e bem-estar.

Caixas decoradas, tricô, bordado, quadros, não importa qual trabalho artesanal como esteja fazendo, as vantagens terapêuticas são comprovadas.

“As mãos se tornam a ferramenta principal, o olhar fica mais sensível. É uma verdadeira entrega e conexão que envolve dedicação e sensibilidade, é terapêutico”_ diz Lucy Lemmi, ceramista há 20 anos, ela realiza um trabalho no torno e na modelagem e afirma que cada peça entregue, tem um detalhe único da sua dedicação.

“O Artesanato é uma forma de expressão milenar e universal que possibilita ao artesão uma integração e comunicação interior”, afirma Lucy.

O processo de criação envolve idealizar, identificar formas, cores e texturas.

Exercitar o cérebro é trabalhar a criatividade e a pró-atividade. Para muitos, o artesanato dá sentido à vida.

Por Redação

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts