Ouvir Pausar

PANDEMIA : Eventos on-line vão continuar em alta

De acordo com a diretora da Espaço Ampliar e organizadora do Minas Eventos Xperience, Flávia Botelho, desde 2013, o encontro reúne gestores, empresários, fornecedores, representantes do governo e todos os envolvidos na cadeia produtiva de eventos para troca de experiências e negócios voltados para eventos na área de artes, comunicação, turismo e negócios, com foco em capacitação, networking e parcerias públicas, privadas e do terceiro setor.

PANDEMIA : Eventos on-line vão continuar em alta
Crédito: Pixabay - Eventos on-line devem continuar em alta -

 alívio trazido pelo começo da vacinação contra a Covid-19 no Brasil não pode levar ao relaxamento das medidas de proteção, inclusive o distanciamento social. Durante bastante tempo, até que a imunização coletiva alcance os patamares preconizados pelas ciências, cadeias produtivas com a dos eventos vão continuar passando por dias difíceis e se adaptando aos protocolos de proteção.

E é por isso que os eventos on-line devem continuar em alta, a exemplo do Minas Eventos Xperience. Voltado para a formação, justamente de profissionais para o setor, o evento já está na sua sétima edição e, dessa vez, totalmente virtual, vai acontecer entre os dias 27 e 30 de janeiro.

De acordo com a diretora da Espaço Ampliar e organizadora do Minas Eventos Xperience, Flávia Botelho, desde 2013, o encontro reúne gestores, empresários, fornecedores, representantes do governo e todos os envolvidos na cadeia produtiva de eventos para troca de experiências e negócios voltados para eventos na área de artes, comunicação, turismo e negócios, com foco em capacitação, networking e parcerias públicas, privadas e do terceiro setor.

“Não existe legado, mas pandemia deixa aprendizados e resultados para todos. A cadeia produtiva de eventos foi obrigada, por necessidade, a adotar a virtualização das atividades. Acredito que no futuro pós-pandemia o modelo híbrido prevalecerá. Teremos o evento físico para aqueles que entenderem que precisam desse tipo de interação, de proximidade. E o on-line para quem, por algum motivo fizer essa opção, seja pela agenda, ou pelos novos hábitos de consumo e circulação”, explica Flávia Botelho.

As inscrições são gratuitas e podem ser realizadas pelo site minaseventosxperience.com.br. Elas dão acesso a encontros, palestras, painéis e cozinha show virtual com especialistas da área, cuja temática será voltada para inovação e criatividade. A participação no evento dará direito a certificado e todo o conteúdo ficará disponível por 15 dias na plataforma.

“Se, de um lado, perdemos a parte do encontro, de outro, ganhamos em alcance. Ao longo desse tempo aprendemos que não é porque um evento é on-line que não podemos ter proximidade. Ano passado fizemos uma edição pocket, via redes sociais. Em 2021 evoluímos para uma plataforma própria, onde o conteúdo ficará disponível. E, a partir da vacinação em massa, teremos, certamente, uma versão híbrida que chega pra ficar”.

Fazem parte da programação do evento temas como: eventos gastronômicos, carnaval pós-pandemia, eventos sociais, eventos inovadores, mercado de trabalho, gestão de eventos, produção cultural associada, entre outros.

“Essa edição quer olhar pra frente, falar menos sobre a pandemia em si e entender quais as tendências, que ferramentas temos para o futuro que surgiu a partir da Covid-19. Como organizadores da Minas Eventos Xperience também tivemos que aprender a lidar com a tecnologia e esse novo jeito de fazer as coisas. A edição passada foi pelas redes sociais, essa é por uma plataforma própria. Outros eventos que produzimos ao longo do ano utilizaram outras ferramentas. Vamos aprendendo e nos adaptando. Vamos mostrar empresas que se reinventaram, que encontraram caminhos”, afirma.

Reinvenção – Para a produtora, a hora é de reinvenção da atividade, qualificação dos profissionais e uma postura de cuidado e respeito à vida. As repetidas notícias de realização de festas clandestinas e o recrudescimento da pandemia são nódoas em recaem sobre o setor.

“Infelizmente, ao impor as regras de fechamento das atividades a legislação não fez distinção entre os eventos. Os eventos de negócios têm capacidade de organizar a circulação. Mas não conseguimos convencer os órgãos públicos de fazerem essa diferenciação. Dito isso, temos que respeitar as orientações. Esses eventos clandestinos se, de um lado mostram que as pessoas precisam de entretenimento, de outro, prejudicam enormemente a todos que estão seguindo as regras. Espero que a população entenda que essas pessoas não representam os profissionais sérios do setor de eventos”, reage a diretora da Espaço Ampliar.

Créditos : Diario do Comercio 

Acompanhe-nos no Instagram:

https://www.instagram.com/revistanovafamilia