Para melhorar a autoestima, brasileiros estão cuidando mais da aparência

procedimento estético

Para melhorar a autoestima, brasileiros estão cuidando mais da aparência

Para melhorar a autoestima, brasileiros estão cuidando mais da aparência

“Não tem coisa melhor do que me olhar no espelho e me sentir bem! Além disso, vários amigos e colegas me perguntam o que eu tenho feito para manter essa aparência mais jovem e saudável, recebo vários elogios. Minha autoestima está lá em cima!”, declara Roneide de Almeida, de 64 anos, funcionária pública.

Ela se sentia incomodada com a flacidez no rosto e algumas rugas. Aplicou quatro fios de sustentação — que proporcionam o conhecido efeito lifting –, toxina botulínica na área dos olhos e preenchimento com ácido hialurônico no bigode chinês.

Com o aumento da expectativa de vida — que passou para 76 anos e 3 meses, de acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) –, os brasileiros têm se preocupado mais em manter um estilo de vida saudável e uma aparência mais jovem.

Com isso, a busca por clínicas de estética facial avança no país e no mundo, de forma acelerada.

A Pesquisa Estética Global, realizada anualmente pela Sociedade Internacional de Cirurgia Plástica Estética (ISAPS), mostra que o Brasil é o segundo país que mais faz procedimentos estéticos, ficando atrás apenas dos Estados Unidos.

O mais recente estudo, divulgado em novembro de 2019, revela um aumento geral de 5,4% nesses tipos de tratamento, em 2018, comparado ao ano anterior.

Os métodos não invasivos são os mais procurados, em alternativa às cirurgias plásticas, registrando um crescimento de 10,4%, mundialmente.

No Brasil, dos mais de dois milhões de procedimentos estéticos feitos em 2018, as técnicas não cirúrgicas corresponderam a 770 mil.

“Sempre procurei manter uma alimentação saudável e fazer exercícios físicos. Mas, as linhas de expressão na testa e nos olhos me incomodavam. Fiz alguns procedimentos estéticos e amei o resultado! Estou me sentindo ótima, linda!”, afirma Leide Maria Lourença, 47 anos, técnica de enfermagem.

Ela aplicou toxina botulínica na região da testa e dos olhos, preenchimento com ácido hialurônico no código de barras (ao redor dos lábios) e se prepara para colocar fios de sustentação.

Essa busca pelo bem-estar, mantendo uma aparência mais jovem, provocou um crescimento médio de 20% na procura por tratamentos estéticos, nos últimos três meses de 2019, nas clínicas Royal Face, por exemplo.

“O segmento de beleza está em constante crescimento. As pessoas querem se sentir bem e nosso objetivo é levar os tratamentos estéticos para um público que não tinha acesso, especialmente, a procedimentos tão desejados como a toxina botulínica, o preenchimento e os fios de sustentação”, afirma Andrezza Fusaro, sócia-fundadora da Royal Face.

Por Redação

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »