Pequenas mudanças na rotina são capazes de evitar oito em cada 10 casos de doenças cardíacas.

architecture-2562355_960_720

O primeiro passo é se submeter a exames preventivos, ou seja, um check-up geral; Os mais indicados são eletrocardiograma, ecocardiograma, teste ergométrico e exames laboratoriais e os resultados destes exames permitem analisar e tratar alguma patologia antes das complicações

As doenças do coração são a principal causa de morte no Brasil e no mundo. Entre as mulheres, as cardiopatias representam cerca de 30% das causas de óbito, superando as estatísticas de cânceres ginecológicos como mama e ovário, por exemplo. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que, anualmente, essas doenças levam à óbito cerca de 8,5 milhões de mulheres em todo o mundo.

Dupla jornada de trabalho, tabagismo, sedentarismo, uso de pílulas anticoncepcionais (que aumentam as chances de trombose), má alimentação e obesidade estão entre os fatores que levaram ao aumento no número de óbito entre as mulheres. Principalmente entre aquelas com mais de 40 anos, por infarto e outras doenças cardiovasculares. Isso acontece porque as mulheres que sofrem um ataque cardíaco acumulam mais fatores de risco como o diabetes, hipertensão e altas taxas de colesterol.

Segundo o cardiologista e responsável pelo Clinic Check-up do HCor, Dr. César Jardim, a complicação do infarto entre as mulheres pode ser ainda maior devido ao diagnóstico tardio e, raramente, por sentirem os sintomas clássicos como os homens. “As doenças cardiovasculares podem ser assintomáticas e podem ser fatais já na primeira manifestação, como o infarto e o acidente vascular cerebral, o AVC”, alerta Dr. César Jardim.

Cansaço extremo, dor na parte superior do abdômen, costas e pescoço, acompanhados de náusea, enjoo, tontura, sudorese excessiva são alguns alertas do corpo de que algo não está caminhando bem. Conhecê-los e saber identificar as várias manifestações das principais doenças cardiovasculares é fundamental para evitar possíveis complicações. “Tudo tem de ser analisado e valorizado. Com um simples eletrocardiograma e uma dosagem de sangue é possível fazer o diagnóstico de infarto”, explica Dr. Jardim.

Previna-se!

Pequenas mudanças na rotina são capazes de evitar oito em cada 10 casos de doenças cardíacas, segundo o cardiologista do HCor. O primeiro passo é se submeter a exames preventivos, ou seja, um check-up geral. Para aqueles que nunca fizeram um acompanhamento médico, trata-se de uma ampla avaliação de acordo com sexo, idade, hábitos de vida e histórico familiar. “Os mais indicados são eletrocardiograma, ecocardiograma, teste ergométrico e exames laboratoriais. Os resultados destes exames permitem analisar e tratar alguma patologia antes das complicações”, explica Dr. Jardim.

Dicas do cardiologista do HCor para um coração saudável:

Alimentação: dê preferência aos alimentos ricos em fibras e com baixo teor de gordura, que auxiliam na redução do colesterol ruim, o LDL. Soja, feijão, grão de bico, tomate, peixes, azeite, alho, banana e castanhas são ótimas opções;

Exercícios: atividade física de intensidade moderada faz um bem danado ao coração. Trinta minutos diários já são capazes de derrubar pela metade o risco de morte;

Estresse: alimentar aquele momento de fúria pode aumentar o risco de infarto. Antes de extravasar, tente se afastar da situação ou respirar fundo por 10 segundos. Isso pode ajudar a reduzir os níveis de adrenalina

Por Target Estratégia em Comunicação