Programa de agricultura familiar conquista 1º Prêmio Mulheres do Agro

860
Parceira do programa de agricultura familiar da Agropalma no Pará conquista 1º Prêmio Mulheres do Agro

Parceira do programa de agricultura familiar da Agropalma no Pará conquista 1º Prêmio Mulheres do Agro

Benedita Almeida é responsável por 145 famílias que atuam no cultivo da palma. Reconhecimento se deu por boas práticas e respeito à sustentabilidade

Do município de Moju, no Pará, é uma das nove vencedoras da primeira edição Prêmio Mulheres do Agro. A iniciativa é da multinacional Bayer, em parceria com a Associação Brasileira do Agronegócio (ABAG), e reconheceu entre 200 inscritas o trabalho de excelência de nove líderes no campo, de norte a sul da País. Benedita Almeida, é parceira do programa de agricultura familiar da Agropalma, maior produtora de óleo de palma sustentável da América Latina.

Um comitê independente formado por especialistas e pesquisadores do agronegócio ligado a diversas instituições foi indicado pela Bayer e pela ABAG para definir as vencedoras. Pesou em favor de Benedita a contribuição do seu trabalho com a sustentabilidade e o desenvolvimento econômico e social da região em que atua, a 130 quilômetros de Belém (PA).

A parceira da Agropalma foi premiada na categoria “Pequena propriedade” devido ao seu trabalho à frente do Consórcio Simplificado de Agricultores que reúne 145 famílias no cultivo da palma. Implantado em 2013 pelo grupo de produtores, esse modelo de gestão já gerou ganhos significativos em produtividade e qualidade, como as melhores práticas no manejo do solo, eliminação do uso de produtos químicos, regularização da mão de obra e maior controle no combate ao trabalho infantil.

“Bena” é a única premiada da região Amazônica e, também, a única a representar a cultura da palma na premiação. Para chegar lá, foram reconhecidos o seu protagonismo como mulher no setor agropecuário e suas contribuições para a agricultura brasileira.

O prêmio foi entregue durante o 3º Congresso Nacional das Mulheres do Agronegócio, no Transamérica Expo Center, em São Paulo. Todas as contempladas serão personagens da série audiovisual da Bayer ‘Ser Agro É Bom’, que valoriza os produtores rurais de todo o Brasil e possui mais de um milhão de visualizações por vídeo nas redes sociais da empresa.

Desde 2002, a Agropalma conta com um programa de agricultura familiar. Hoje, o projeto tem 192 famílias de pequenos agricultores, dos quais 145 integram o Consórcio Simplificado de Agricultores Benedita Almeida do Nascimento e Outros. Nascida e criada na comunidade de Arauai, Bena e sua família sempre viveram do plantio da mandioca e da pesca. A sua ligação com a agricultura e as dificuldades vividas a fizeram apostar na cultura da palma. Ela foi uma das maiores incentivadoras junto aos colegas para a implantação do projeto. Por isso, não foi à toa que foi escolhida para ser a líder do consórcio.

Desenvolvimento sócioeconômico

Por meio do programa de agricultura familiar, os parceiros da Agropalma têm acesso a mudas de qualidade, fertilizantes e ferramentas a preço de custo, assistência técnica gratuita. A empresa garante ainda a compra de toda a produção pelo preço de mercado.

O programa trouxe benefícios para as duas partes. Para a Agropalma e aos produtores parceiros foram registrados ganhos em produtividade e qualidade expressivos. A produção nas áreas dos parceiros pode chegar a 32 toneladas/hectare/ano, superior à média nacional, que é de 23 toneladas/hectare/ano. Isso se deve à adoção de melhores práticas de manejo do solo e à introdução da mecanização. Hoje, depois que são retiradas, as folhas das palmeiras são distribuídas no solo para deixá-lo mais úmido e garantir mais nutrientes, evitando a compactação do solo e a erosão. Além disso, a adubação é 100% mecanizada, o que garante uma distribuição correta, mais rápida e eficiente do fertilizante.

Outro dado interessante: desde 2014, os parceiros do programa de agricultura familiar são certificados pela norma global de sustentabilidade RSPO (Mesa Redonda Sobre Óleo de Palma Sustentável) no qual recebem uma bonificação por tonelada de sua produção. Além disso, o controle fitossanitário e das plantas invasoras é realizado sem a utilização de nenhum produto químico.

Do outro lado, para o trabalhador rural do consórcio, as vantagens vão desde o registro em carteira, fornecimento de EPI’s (Equipamentos de Proteção Individual), orientações sobre melhores técnicas de plantio, colheita e armazenamento. As informações são fundamentais para que não haja esgotamento do solo e, por consequência, queda na produção.

A comunidade local também ganha. Com registro em carteira, o trabalhador tem mais confiança em adquirir um bem, o que faz movimentar os negócios na região. Ele ainda investe em melhores condições de qualidade de vida, como alimentação, por exemplo. Dessa forma, tem início o ciclo de desenvolvimento sócioeconômico.

Sobre a Agropalma

A Agropalma é a maior produtora de óleo de palma sustentável da América Latina e sua atuação perfaz toda a cadeia produtiva, da produção de mudas ao óleo refinado e gorduras especiais. Sua trajetória começou em 1982, no município de Tailândia, no Pará. Atualmente a empresa conta com seis indústrias de extração de óleo bruto, um terminal de exportação e uma refinaria de óleo de palma e emprega cerca de 4.500 mil colaboradores. O compromisso da Agropalma com o meio ambiente é um de seus valores, o que é representado, na prática, por certificações ambientais, abrangendo insumos, matérias-primas e 100% de sua produção.