Projeto será facilitador de investimentos de empresas estrangeiras no Brasil e de brasileiros no exterior

A parceria entre entidades contábeis brasileiras e de outros países trará segurança para empresas que queiram investir no País e, posteriormente, de empresas que queiram investir fora

Um novo projeto, chamado International Desk, será lançado no Brasil na próxima segunda-feira, dia 2 de outubro, pelo SESCON-SP  – Sindicato das Empresas de Serviços Contábeis, Assessoramento, Perícias, Informações e Pesquisas no Estado de São Paulo – que tem como objetivo criar parcerias entre entidades contábeis nacionais e de outros países para a intermediação entre empresas estrangeiras e o setor contábil brasileiro, para garantir para garantir investimentos no país com segurança e sem riscos.

Em parceria com os departamentos de Relações Internacionais e Comércio Exterior – DEREX e da Micro, Pequena e Média Indústria – DEMPI, da Federação das Indústrias do Estado do São Paulo – FIESP,  o projeto vai iniciar com um intercâmbio Brasil-Itália, tendo a assinatura do acordo e da carta de intenções com as entidades contábeis italianas, Consiglio Nazionale dei Commercialisti e Ordine Commercualisti di Roma. E, neste primeiro momento, a ação será direcionada para empresas e investidores da Itália com interesse de investimento no Brasil e, em breve, os brasileiros também terão transações facilitadas na Itália.

O presidente do SESCON-SP, Márcio Massao Shimomoto, destaca a importância desta ação, uma vez que as empresas de contabilidade do Brasil sabem lidar com toda a burocracia. “As organizações contábeis brasileiras lidam diariamente com a grande complexidade tributária do País, buscam desvendar as mais de 3.500 normas existentes e as que surgem todos os dias e fomentam uma das inteligências fiscais mais sofisticadas do mundo. Dessa forma, têm todo o know-how para facilitar e orientar as empresas que têm a intenção de vir para cá”.

Posteriormente, a intenção é expandir estas parcerias com outros países do Mercosul, Estados Unidos, França, Japão, bem como abarcar as empresas de contabilidade de outros Estados brasileiros.