Quem são os líderes que você conhece?

Quem são os líderes que você conhece? Muhamad Yunus

É com esta pergunta que começo uma reflexão com vocês e nesse momento gostaria de estar sentada num café ouvindo suas respostas e justificativas.

Para algumas pessoas os líderes são os diretores ou presidentes, os referenciais que buscam quando tem alguma dúvida ou precisam de apoio.

Mas hoje quero falar do líder que vai além do conceito de direção, alinhamento e delegação de tarefas. Sabe aquelas pessoas que promovem mudanças revolucionárias, que buscam um investimento de impacto social, aquele tipo de gente que quando fala seus olhos brilham e o coração transborda?

Estou pensando nos empreendedores sociais, na busca pelo bem coletivo, por um trabalho que te faça sentir que está fazendo algo relevante, que te estimule a ser melhor, a ter um engajamento comunitário.

As empresas estão mudando o core dos negócios. Vejo grandes empresários preocupados com projetos sustentáveis e dedicando tempo e energia para melhorar o mundo.

Escolhi contar a história de um líder que admiro, Muhamad Yunus,  economista, conhecido como o banqueiro dos pobres e ganhador do Nobel da Paz em 2006. Ele é um exemplo de como uma pessoa é capaz de mudar a realidade e a vida das pessoas.

Ele era professor em Bangladesh e ao lado da universidade existia uma favela onde as pessoas morriam de fome. Uma das únicas opções para conseguir dinheiro era recorrer a empréstimos de  bancos e agiotas que cobravam juros exorbitantes.

Para amenizar essa situação, ele começou a emprestar a quantia de US$27,00 (vinte e sete dólares) para as mulheres artesãs desta que com esse pequeno aporte se transformaram em empreendedoras! Só isso já seria uma história fantástica, mas ele não parou por aqui, procurou bancos para ajudar mais pessoas mas ninguém se interessou, acharam que esta era uma ideia absurda.

Neste ponto, preciso dizer que como empreendedora você vai ouvir críticas se tiver um projeto inovador, preste atenção no que dizem, mas reflita bastante, busque a resposta em você, naquilo que acredita, pense em  quantas pessoas você vai conseguir ajudar com seu projeto, qual o seu objetivo, a sua verdade. Tenho certeza que a maior parte de cases de sucesso tiveram início com pessoas que acreditaram no que parecia impossível.

Não importa o tamanho do seu negócio, Muhamad Yunus começou emprestando dinheiro do próprio bolso sem a burocracia dos bancos, esse projeto se transformou num banco oficial em 1976 que hoje tem mais de 12 mil funcionários, está presente em 100 países e conta com mais de 8,4 milhões de mutuários, a maioria composta por mulheres, já tirou 12 milhões de pessoas da linha de pobreza e movimenta mais de 1,5 bilhões de dólares por ano.

Lembra das críticas que ele ouvia? Diziam que este projeto só seria viável num pequeno território onde ele morava, que seria impossível replicá-lo em outros locais, que era uma solução pontual, específica para uma determinada população.

O jornal “Financial Times” define o Professor Yunus como um dos seis maiores pioneiros de finanças de todos os tempos.

O que impressiona no seu projeto é o baixíssimo nível de inadimplência do banco, que no seu caso é de 1%!! Acredito que esta é a melhor resposta para aqueles que pensaram que ele estava delirando, que a ideia era absurda. Todos diziam que as pessoas pobres não teriam como pagar pelo empréstimo, mas elas transformaram esse dinheiro em pequenos negócios! Não só pagaram o que deviam mas  passaram a ser empreendedores.

Yunus desde pequeno conviveu próximo a áreas pobres, o pai era vendedor de jóias e grande incentivador do estudo como forma de vida mais digna, mas foi com o exemplo de sua mãe que ele se inspirou para lutar contra a pobreza, ela sempre ajudava os necessitados que batiam a porta da sua casa.

Outra iniciativa criada por ele foi o Grameen Danone, uma joint venture criada pensando no desenvolvimento mental  de crianças pobres através da distribuição de iogurte enriquecido com vitaminas. Ele viu crianças morrerem de fome ou terem baixo desenvolvimento intelectual causado por carência de uma boa alimentação, isso o motivou a procurar uma parceria com a Danone.

Mais um negócio social surgiu ao perceber que muitas crianças não conseguiam enxergar à noite, então ele procurou médicos para entender a causa desta cegueira noturna e descobriu que era falta de vitamina A, a boa notícia era que elas poderiam voltar a enxergar desde que tivessem uma alimentação rica em vegetais ou com a ingestão de comprimidos. Procurou as famílias e explicou que havia uma solução, começou a vender pacotes de sementes por 1 centavo, o Grameen Group em 7 anos se tornou o maior vendedor de sementes do país e o melhor de tudo, conseguiu erradicar a cegueira noturna.

No Brasil ele fundou a Yunus Negócios Sociais com o objetivo de fomentar o empreendedorismo social. A empresa é uma incubadora e aceleradora de negócios que criam soluções para problemas sociais do nosso país.

Muhamad Yunus é membro do Conselho da Fundação das Nações Unidas além de ter recebido inúmeros prêmios por sua luta como defensor dos direitos humanos.

Para mim ele é um verdadeiro exemplo de líder que a partir da percepção de um grande problema social teve a coragem de agir. Enfrentou os obstáculos com o ideal de erradicar a pobreza, sonhou alto e conseguiu transformar o mundo!

Como sempre digo, gosto de gente… mas me inspiro em gente que faz, que não tem medo, que desafia e tem coragem de inovar, gente que sonha em viver num mundo melhor, que sabe o que é ética, dignidade e justiça.

Muhamad Yunus espalhou muitas sementes pelo mundo, espero que você plante uma delas e ajude o país e as pessoas a terem uma chance de mudar de vida. Ele semeou saúde, desenvolvimento mental, empreendedorismo, responsabilidade social e transformou vidas. Qual será a sua semente?

Finalizo com duas frases ditas por ele:

“A paz duradoura não pode ser atingida a menos que grandes grupos da população encontrem formas de sair da pobre”.

 

“Todo mundo nasce empreendedor. Alguns tem a chance de liberar esse potencial. Outros nunca vão ter a chance ou nunca souberam que tinham essa capacidade.”