Reeducação alimentar pós-bariátrica: as principais dúvidas dos pacientes

Reeducação alimentar pós-bariátrica: as principais dúvidas dos pacientes

Cirurgião do aparelho digestivo esclarece os pontos mais importantes sobre a nutrição depois da operação de redução do estômago

Um dos pilares do bom processo de recuperação da cirurgia bariátrica é a dieta adotada dali por diante – a operação não é resolutiva se não houver uma mudança no estilo de vida, com novos hábitos alimentares e comportamentais que devem ser mantidos para sempre.

“O paciente deve entender muito claramente que o cuidado com a nutrição é indispensável, uma vez que a quantidade e os tipos de alimentos permitidos serão limitados, e que uma reeducação alimentar deverá fazer parte de sua rotina. O auxílio de um nutricionista na equipe multidisciplinar de acompanhamento no pós-operatório é fundamental”, explica o cirurgião do aparelho digestivo especializado em cirurgia bariátrica Thales Delmondes Galvão.

O especialista, que realizou mais de três mil procedimentos nos últimos dez anos, esclarece a seguir as dúvidas mais frequentes dos pacientes após a cirurgia bariátrica.

Quais são os hábitos alimentares mais importantes depois de fazer uma cirurgia bariátrica?

– Mastigar lentamente, com intervalo entre as porções ingeridas;

– Não ingerir líquidos durante as refeições;

– Fazer lanches entre as refeições principais (café da manhã, almoço e jantar);

– Sentar para se alimentar e se concentrar em cada refeição, que deve ser feita sem distrações como o smartphone ou a TV ligada;

– Ingerir um mínimo de 2 litros de água por dia;

– Evitar alimentos ricos em gorduras e açúcar;

– Evitar doces, balas e chocolates;

– Evitar frituras, maionese e molhos gordurosos (como o molho branco e os molhos de queijo);

– Ingerir baixa quantidade de produtos dietéticos como doces, balas, pães, biscoitos e massas, pois eles também engordam se consumidos em excesso.

Sempre é preciso fazer suplementação nutricional no pós-bariátrica?

Não. Nas consultas de retorno com o especialista em nutrição serão avaliadas as necessidades do paciente para prevenir deficiências, e a suplementação só será colocada em prática se algum exame indicar sua necessidade.

Na rotina da semana é fácil manter a dieta, mas o fim de semana é um desafio nesse sentido.

Como controlar a alimentação no sábado e no domingo?

A mudança de rotina do fim de semana realmente requer cuidados para fugir do exagero e das tentações. No café da manhã, prefira sucos de frutas naturais sem açúcar, pães integrais recheados com opções magras (como queijo branco e peito de peru light), iogurte ou leite desnatado, frutas e cereais.

No almoço e no jantar, fique atento à quantidade de alimentos que vai ao prato – não deixe o bate-papo e a descontração lhe distraírem. Se for comer massa, opte pelas menos calóricas, sem recheio e com molho de tomate ou à bolonhesa; evite molho branco e molhos de queijos. O melhor jantar é leve, com saladas, arroz integral e carne. Para finalizar as refeições, faça das frutas suas sobremesas, e não os doces.

É permitido consumir bebidas alcoólicas na recuperação da bariátrica?

A ingestão de álcool é proibida nos primeiros seis meses após a cirurgia. “O álcool pode danificar mucosas estomacais e intestinais, o que atrapalha a absorção de nutrientes importante para o organismo nessa etapa”, justifica o cirurgião.

Passado o primeiro semestre, o vinho pode ser consumido em pequenas quantidades de vez em quanto. Cervejas e quaisquer bebidas gaseificadas não são recomendadas, pois o gás pode causar incômodos e dilatar o estômago, prejudicando o resultado da cirurgia bariátrica.

Por que é preciso fazer uma dieta líquida nos dias seguintes à cirurgia bariátrica?

Este cuidado pós-operatório ajuda o cérebro a “limpar” as lembranças dos sabores dos alimentos não saudáveis (como os industrializados) e a se acostumar com as novas experiências do paladar.

Dois litros de água por dia não é muito para quem fez redução de estômago?

Não é muito, e esta é a recomendação médica para a hidratação, como afirma o Galvão: “A água evita a desidratação e diminui o risco de tromboses nas veias das pernas e no intestino. Além disso, um paciente de bariátrica bem hidratado tem menos risco de ter pedras nos rins e na vesícula e mantém a pressão arterial controlada.”

O que muda é a forma como o líquido deve ser ingerido: em vez de beber grandes quantidades de água algumas vezes por dia, a pessoa deve beber pouca água várias vezes por dia até completar os dois litros. Isso causa menos desconforto e respeita os limites de um estômago menor.

*Por Dr. Thales Delmondes Galvão

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Share on facebook
Share on whatsapp
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on print
Share on email

Veja os últimos posts