Relações Interiores

Relações Interiores

Relações Interiores

Provavelmente você achou que houve um erro de digitação no título deste artigo, afinal, é óbvio que vou falar sobre relações internacionais e por distração escrevi relações interiores.

Encontrar inspiração para escrever textos semanais em época de distanciamento social é mais difícil, quem me conhece sabe que gosto de contar histórias que ouço nas minhas andanças… mas como a maioria dos mortais estou trabalhando em home office.

Resolvi falar sobre como estou vendo a vida do lado de dentro da minha casa, as relações interiores! Confesso que fui procurar no Google e descobri que inventei uma novidade, um novo termo num novo mundo.

Existe o Ministério de Relações Exteriores e existem os profissionais especialistas em Relações Internacionais.

O objetivo deste texto é fazer você refletir sobre como está sua convivência consigo mesma e com outros

Se você mora sozinha, as relações interiores são basicamente aquelas que surgiram no confinamento. Acordar e olhar no espelho sem pressa, com um dia inteirinho para você fazer o que quiser, almoçar às 17:00 hs, dançar pela sala vestindo pijamas, assistir um seriado inteiro, se descobrir uma nerd.

As redes sociais viraram uma espécie de diário onde você compartilha suas opiniões e conta o que tem feito, leio relatos criativos de amigas que estão se redescobrindo, outras que por pertencerem a grupos de riscos recebem ajuda de vizinhos que antes nem conheciam.

Por outro lado, tem dias em que você acorda triste e a vontade é de ficar escondida debaixo dos cobertores, sem al9egria ou vontade de se mexer. Bate aquela depressão e tudo o que você precisa é de um guindaste para te levantar… Nessas horas vale ligar para a família ou aquela amiga irmã que te entende e sabe como te chacoalhar.

Se o problema persistir, procure auxílio com profissionais da saúde como psicólogos ou médicos, já existem atendimentos online. Cuide também  da sua saúde mental, afinal, se tivesse febre e dores musculares aposto que procuraria ajuda.

Aproveite esse tempo para mergulhar no seu interior e se conhecer melhor, é impressionante como às vezes não percebemos nossos dons e talentos e passamos a vida desperdiçando o tempo numa atividade infrutífera.

Existe a categoria das relações interiores a dois onde o espaço para o home office e os afazeres domésticos devem ser divididos com a sabedoria de Salomão. 

A ONU Mulheres iniciou uma campanha #ElesPorElasEmCasa –  Mobilizar outros homens pelo fim da violência contra as mulheres e meninas é tarefa de homem. Pedem que os homens enviem fotos e publiquem nas redes sociais mostrando o trabalho doméstico que eles assumiram na quarentena.

Vi a foto de um homem grandão e musculoso com a frase “Não basta ser homem, tem que saber passar direitinho, rs.”

Em outra postagem, uma foto de um casal na pia, o homem conta que passa os dias lavando vasilhas, limpando a garagem e que isto está sendo bom pois o filho de 17 anos está ajudando a lavar a louça também.

Sem dúvida nenhuma, as mudanças começam em casa e se você quer que as novas gerações exerçam boas práticas, se você acredita que pode transformar o mundo num lugar melhor, comece criando filhos que entendam o significado das palavras respeito, direitos iguais, justiça, ética, diversidade, inclusão e sustentabilidade.

Este isolamento social está sendo uma lua de mel para alguns casais enquanto outros passam por situações de violência e a percepção de que na verdade conviveram com estranhos, mal se conhecem… É a oportunidade para limar as arestas, reconhecer se vale ou não a pena continuar. Se você é vítima, denuncie! Se você conhece alguma vítima, denuncie!

No quesito Relações Interiores não podemos deixar de citar o relacionamento com os filhos. Aqui é um capítulo a parte, se seus filhos são pequenos você está redescobrindo a importância de uma fresta de sol que entra na janela, está acompanhando cada mudança e agradecendo o privilégio de trabalhar em casa sem perder horas no trânsito e chegar estressada. Isso é qualidade de vida!

Lógico que tem o outro lado da moeda, as crianças tem uma energia inesgotável e não tem botão de desligar. Calma, respire fundo, medite, entoe mantras e depois você ganha o direito de berrar, se descontrolar e mostrar que todas as mães tem um Lado B quando perdem a paciência.

As relações interiores merecem muito estudo e dedicação. É um processo de autoconhecimento e autorresponsabilidade.

É exercer o protagonismo, é aprender a se amar e ser capaz de se deixar amar.

Lilian Schiavo – Arquiteta formada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, bacharel em administração hospitalar pelo IPH – Instituto de Pesquisas e Desenvolvimento Hospitalares e pós graduada em Engenharia de Segurança e Medicina do Trabalho. Grande experiência em administração na área da saúde, diretora do Sindicato dos Hospitais, juíza classista na Justiça do Trabalho e voluntária em ONGs. Atual presidente da OBME- Organização Brasileira de Mulheres Empresária.

POLISHOP & NOVA FAMÍLIA juntos para oferecer tudo de melhor para você e sua Família!

Para saber mais CLIQUE AQUI!!!

WWW.POLISHOP.COM.VC/NOVAFAMILIA

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »