Empresário que perdeu tudo ensina a romper o ciclo do fracasso

124

A situação mais normal para todos nós é enfrentar dificuldades. Não precisa ser pobre ou ser rico, nem precisa ser feio ou bonito, muito menos ter mais conhecimento que o outro para ter problemas.

As dificuldades são, inclusive, ferramentas para a sequência de nossa vida, seja pessoal como profissional. Mas quando enfrentamos estes problemas de forma sucessiva e, ainda, termos a sensação que nada nos faz ir para frente, é normal entrar em uma vibração negativa, que desmotivar.

Ciclo do fracasso

Pois bem, estes “sintomas” são as principais características do ciclo do fracasso. A pessoa acorda, depois de uma noite mal dormida e, mesmo antes de levantar, já está envolto em problemas. E, tendencialmente, a maior vontade é de voltar a dormir. Assim, não precisaria lidar com a falta de dinheiro, a dívida no banco, a ausência de perspectivas interessantes.

Mas, sair da paralisia que o fracasso nos impõe, é a primeira grande tarefa de quem precisa enfrentá-lo.

E onde reunir forças para sair deste ciclo?

Para o empresário Paulo Maranhão, que enfrentou um processo de falência, não fechou apenas as portas de sua empresa, mas também acesso a crédito e, também, teve um longo processo na justiça.  “Sei o quão difícil é não ter R$1 para comprar comida e ainda ter que enfrentar uma dívida de milhões de reais. Sei como dói olhar para as pessoas que você ama – seus filhos, sua família – e ver nos olhos deles a tristeza porque você fracassou. Sei que o fracasso é um dos monstros mais difíceis de enfrentar. Mas sei também que, quando você passa por cima dele, não há sensação melhor no mundo. Você volta a ser você mesmo. Melhor ainda: você consegue criar uma versão aprimorada de si mesmo”, diz.

Para o especialista, refletir sobre os erros que nos levam até o fracasso é o primeiro passo para a volta por cima. “Existe uma hora que, ou você age para sair do buraco em que se enfiou, ou nunca mais sairá dali. Diante deste dilema, sugiro um exercício de reflexão e autoanálise, que ajudará a quebrar o ciclo de fracasso que está acontecendo dentro de você e entender qual é o seu verdadeiro potencial”.

Paulo sugere, em primeiro lugar, que você liste quais situações estão tirando o seu sono e analise os motivos e sentimentos sobre cada uma das questões que refletiu. Depois, analise como suas próprias ações o levaram a criar esses problemas. “Não vale culpar fatores externos como crise, sócio, familiares ou clientes ruins. Você precisa analisar de que maneira as atitudes que tomou o levaram a essas dificuldades. Enfrentar o monstro do fracasso não é fácil, mas o processo ajuda a entender fraquezas e nos conduz até o sucesso”, orienta.

Feito isso, é hora de pensar nas ações que você deve tomar para sair do labirinto de problemas e desilusões. As ações têm um poder extraordinário e são fundamentais para quebrar o ciclo do fracasso.  “Se eu ficasse parado depois da minha falência, estaria até agora com uma barba gigantesca e sem nenhum tostão no bolso. Agir é o que nos faz conquistar o que deseja. Então, aí vai minha última dica: se planeje”, alerta Paulo.

Ele ainda sugere que escreva três ações que precisa executar para resolver seus problemas e começar a seguir em frente. É preciso explicar porque elas são importantes. “Fique com essas ações na cabeça e, conforme sua jornada for se desenvolvendo, revise as ações periodicamente. E acredite, principalmente, que elas darão certo.

Pode até parecer bobagem, mas quem não acredita que tem o potencial de agir e mudar sua vida não sai do lugar e fica preso para sempre no ciclo de fracasso. Crer que você pode, consegue e merece é essencial para se reerguer. Ao alinhar suas ações às suas qualidades, conseguirá se livrar do fracasso e conquistar o sucesso”, finaliza Mara