Saiba qual o melhor remédio para combater TPM e cólicas menstruais

estudo-global-mostra-mulheres-que-se-exercitam-com-regularidade-sentem-menos-os-efeitos-do-ciclo-menstrual.jpg

Estudos mostram relação entre atividades físicas regulares e redução dos sintomas relacionados ao ciclo mentrual

Resultados iniciais de um estudo com mais de 14 mil mulheres mostram que atividades físicas regulares são uma forma eficiente de combater sintomas relacionados ao ciclo menstrual, como cólicas, TPM, dor no peito, alterações de humor e fadiga. E os exercícios de intensidade moderada são os que têm resultado mais positivo. Um exercício de intensidade moderada é aquele que deixa o praticante com a respiração ofegante, mas ainda capaz de manter uma conversa.

O estudo está sendo conduzido por uma equipe de pesquisadores da St. Mary’s University, no Reino Unido, e do aplicativo FitrWoman, com análises sobre as respostas de usuárias do Strava, rede social para quem pratica atividade física. Das entrevistadas, 78% percebem que a atividade física reduz os sintomas do período menstrual, aliviando cólicas menstruais e TPM. Entre as mulheres que responderam à pesquisa, estão 2.011 usuárias brasileiras da plataforma.

No mundo, uma em cada três mulheres já perdeu dias de trabalho por conta do ciclo menstrual. No Brasil, esse número é ainda maior, ultrapassando os 40%. Além disso, ainda de acordo com a pesquisa, 69% das mulheres, em algum momento, já se sentiram forçadas a mudar a rotina de exercícios e 88% sentem que o desempenho nas atividades físicas é pior em algum momento durante o ciclo menstrual.

Das 14 mil mulheres entrevistadas, as que atendem às orientações de exercícios da Organização Mundial de Saúde e comem cinco ou mais porções de frutas e vegetais por dia têm menor probabilidade de perder dias de trabalho devido aos sintomas do ciclo menstrual. Uma melhor qualidade e maior duração do sono também estão associados à redução dos sintomas.

LEIA MAIS: 5 alimentos especiais para a saúde e o bem-estar da mulher
Enxaqueca atinge duas vezes mais mulheres; conheça novo tratamento biológico

A líder do estudo, a fisiologista do exercício Georgie Bruinvels, que também é co-fundadora da FitrWoman, se propôs a ajudar as inúmeras mulheres com quem falou durante sua pesquisa que veem o ciclo menstrual como uma barreira ao exercício regular ou que não tinham certeza se era saudável e seguro se exercitar em certos pontos do ciclo.

“Queríamos iniciar uma conversa importante sobre o exercício, o ciclo menstrual e outros fatores do estilo de vida que capacitariam todas as mulheres a trabalhar com o corpo, e não contra ele. Queremos que as mulheres se sintam à vontade para discutir algo que é muito normal e natural”, diz Bruinvels.

Um dado alarmante é que, globalmente, 72% das mulheres relataram não receber informações sobre os benefícios do exercício para a TPM e as cólicas menstruais. Neste aspecto, o Brasil aparece melhor na pesquisa, com aproximadamente 60% das mulheres relatando falta de informação, contra 82% no Reino Unido e na Irlanda, para citar alguns exemplos.

“Não há fóruns públicos suficientes para discutir abertamente o ciclo menstrual e a dor das atletas mulheres”, diz Stephanie Hannon, diretora de produtos do Strava . “Estamos determinados a usar nossa plataforma para destacar como a falta de educação e discussões está impedindo um futuro mais saudável para as mulheres. Os dados mostram que aquelas que receberam alguma educação tiveram bem menos probabilidade de diminuir seus exercícios durante a puberdade – quando tantas meninas e jovens param de praticar esportes”, complementa.

Comentários