Setor Pet deve redobrar cuidados com a pandemia do novo coronavírus

Setor Pet deve redobrar cuidados com a pandemia do novo coronavírus

Setor Pet deve redobrar cuidados com a pandemia do novo coronavírus

Especialista traz orientações para o mercado pet e reforça recomendações para saúde dos animais de companhia

Setor Pet deve redobrar cuidados com a pandemia do novo coronavírus. A rotina de grande parte da população foi alterada diante da situação causada pelo Covid-19, que já infectou mais de 200 mil pessoas em todo o mundo. Com isso, os estabelecimentos do setor pet também precisam se adaptar.

Dr. Leonardo Brandão, médico veterinário e coordenador da Comissão de Animais de Companhia (COMAC), reforça as recomendações do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) para o setor.

“É importante que os estabelecimentos redobrem a atenção com a higienização constante dos ambientes e cuidem para evitar aglomerações”, comenta.

Serviços de ‘leva e traz’, no caso de pet shops que façam banho e tosa, por exemplo, podem garantir a segurança do animal e protegem o tutor de se expor a algum risco.

Já o e-commerce pode ser um grande aliado do mercado de varejo neste momento para entrega de produtos como medicamentos e ração, por exemplo.

Atendimentos veterinários

Os médicos veterinários estão autorizados pelos governos estaduais a continuar o atendimento clínico e em hospitais, variando de uma região para outra no país. A consulta à distância é proibida, conforme determina o código de Ética do Médico-Veterinário. O atendimento deve ser presencial, com a alternativa de ser realizado em domicílio, conforme a disponibilidade do profissional.

Além disso, a orientação é que apenas um único tutor acompanhe o animal, para evitar a aglomeração de pessoas nas clínicas e pet shops, e que evitem visitar os pets internados.

Outra orientação é reprogramar serviços que não são de urgência ou emergência. Os profissionais também devem ser mais cuidadosos quanto a higienização dos ambientes, limpando o recinto de cada atendimento.

Saúde dos pets

A Organização Mundial da Saúde (OMS) afirma que não há evidência de que animais de companhia possam contrair ou transmitir o Covid-19.

As vacinas para cães e gatos os protegem contra o coronavírus específico dessas espécies. É muito importante que as pessoas saibam que este vírus dos cães e gatos não é transmitido ao ser humano.

“Mesmo não sendo comprovado a transmissão da doença, é importante os tutores se atentarem à saúde dos pets para mantê-los saudáveis e com a vacinação em dia, afinal, fazem parte da família”, finaliza Dr. Brandão.

Sobre a Comissão de Animais de Companhia

A COMAC (Comissão de Animais de Companhia do SINDAN – Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal), criada em 2007, visa cuidar de um dos mais importantes e crescentes segmentos da indústria veterinária brasileira e mundial, o mercado de cães e gatos. Sua missão é executar ações que estimulem o desenvolvimento do mercado pet brasileiro, principalmente das áreas ligadas à saúde animal.

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »