Uma morte que enterra a esperança de uma multidão

Os disparos tinham destino certo, atravessar o corpo da vereadora que em sua primeira disputa eleitoral ganhou mais de 46 mil votos.
Até então, Marielle Franco, negra, moradora da favela da Maré, mãe aos 19 anos de idade, estava dentro das estatísticas dos desfavorecidos do Brasil.
Marielli, que morreu com apenas 38 anos, era vereadora do Rio de Janeiro, socióloga, mestre em Administração Pública e presidente da Comissão de Defesa dos Direitos Humanos e Cidadania da Alerj.
Com ela, também se foi a esperança de um país democrático, onde as pessoas podem sim se posicionar de forma diferente, defender as minorias e ser respeitadas por isso e não alvejadas.
A Revista Nova Família se compadece com a dor da família e clama, como toda a sociedade, que esta morte seja esclarecida.

Descanse em paz Marielle! Sua luta será levada adiante por todos nós! Muito obrigada pelas suas conquistas!

Equipe da Revista Nova Família (Luto)