Uma série sobre os desafios de uma pessoa com transtorno do espectro autista

atypical_netflix

Por Pâmela Gonçalves

ATYPICAL

Não é de hoje que as séries de TV têm apostado nas famosas Sitcoms, histórias que mostram o cotidiano de um grupo de amigos ou de um núcleo familiar.

No entanto nos dois últimos anos uma das séries mais comentadas foi a série Atypical. Centrada nas dificuldades de um jovem de 18 anos em seus últimos anos de colégio, seu relacionamento com os familiares e seus amigos. Mas o diferencial que a fez ganhar destaque nas críticas? O personagem central chamado Samuel tem autismo.

Samuel é um garoto inteligente e sincero (o que muitas vezes o coloca em situações complicadas, uma vez que por ter um raciocínio lógico ele não consegue dizer falsas afirmações). Seu pai Doug é atencioso, mas demostra ter dificuldades em se relacionar com o filho; por outro lado Elsa, a mãe, é extremamente amorosa e super protetora, dedicando boa parte do seu tempo a cuidar do Sam. Casey, irmã de Sam, é uma garota independente e forte, sente-se deixada de lado em muitos momentos, mas se mostra dedicada ao irmão e sua melhor amiga.

A primeira temporada centrada em sua maior parte em Samuel, aborda temas como: relacionamentos amorosos e familiares e amizade. Com leveza e bom humor a série aborda o cotidiano do jovem e como as suas limitações aparecem no decorrer da vida. Um ponto marcante é a independência de Samuel, que por diversas vezes tenta resolver as situações sozinho da maneira que ele julga correto.


Sam está em busca de uma namorada, por motivação de sua psicóloga

Em sua segunda temporada, a Netflix – produtora da série – acerta mais uma vez. Os personagens no entorno de Sam estão mais maduros e suas histórias ganham espaço maior na narrativa. Os problemas conjugais dos pais de Samuel ganham profundidade, enquanto Casey muda de escola e precisa passar por um processo de aceitação e entendimento de si mesma. Zahid, amigo de Sam, ganha destaque como personagem importante no amadurecimento do amigo. E Samuel agora no último ano da escola precisa lidar com grandes mudanças e escolhas.

A trama nos faz entender melhor como é o dia a dia de uma pessoa com o transtorno do espectro autista e por diversos momentos nos faz sentir proximidade com aqueles personagens. Renovada no fim de 2018 para a terceira temporada a série Atypical é muito mais que uma série sobre um garoto autista, ela é uma série sobre família. E como ao lado deles todos conseguimos passar pelos maiores obstáculos que nos é imposto.

Receba nossas novidades, assine nossa newsletter!

Especial Mulher

Slider