Uso adequado da anestesia oferece segurança ao paciente

anestesia-geral_22228_l

Uso adequado da anestesia oferece segurança ao paciente

Pesquisa realizada pela Sociedade Americana de Anestesiologia revelou que 75% dos entrevistados disseram temer a anestesia

O objetivo principal da anestesia é bloquear a sensação de dor enquanto o paciente é submetido a algum tipo de cirurgia. Além da aplicação das medicações anestésicas, a função do médico anestesiologista é monitorar continuamente as funções vitais do paciente, como os batimentos cardíacos, pressão arterial, respiração, temperatura corporal, entre outros, garantindo que todo o procedimento transcorra dentro da normalidade. Atualmente, todo esse processo conta com margens extremamente seguras.

Medo do procedimento

Porém, uma pesquisa realizada pela Sociedade Americana de Anestesiologia revelou que 75% dos entrevistados disseram temer a anestesia. Em alguns casos, o medo chega a causar impactos prejudiciais ao tratamento do doente. De cada quatro pacientes, um tem tanto receio que acaba adiando, e em alguns casos até desistindo, do procedimento operatório. “Todo procedimento anestésico possui riscos que são minimizados pela presença constante do médico anestesiologista.

Ele cuidará continuamente da manutenção do bem-estar do paciente, tratando qualquer questão que possa surgir como consequência da cirurgia ou de alterações resultantes das doenças preexistentes” explica a Dra. Rafaella Pelliciotti de Souza, médica anestesiologista do Hospital Albert Sabin.

O Hospital

A escolha de um bom hospital com profissionais qualificados também é fundamental para a garantia de boa fluência do procedimento a ser realizado. Existem anestésicos administrados pela veia, pela respiração ou diretamente no local de ação, como nervos. O tipo da medicação ou a forma de administração deve ser estudado pela equipe que realizará a cirurgia e a opinião do médico anestesiologista é vital na escolha desses fatores.

Anestésicos

São usados anestésicos opioides direcionados especificamente para dor, medicamentos hipnóticos que fazem o paciente dormir e outros que auxiliam toda a cirurgia. “As pessoas sentem medo da anestesia, muitas vezes, por falta de informação. Geralmente, toda complicação envolvendo o procedimento cirúrgico é atribuído à anestesia e, de fato, isso não é uma realidade. Através da tecnologia e dos métodos atuais, conseguimos garantir a segurança necessária em todo e qualquer procedimento, contando com a monitorização de todos os sinais vitais do paciente.”, complementa a Dra. Rafaella.

Por Redação

COMUNIDADE DE COLUNISTAS

Para saber mais sobre o colunista da matéria, clique aqui.

Compartilhe esse post

Compartilhar no facebook
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email

Veja os últimos posts

Antifrágil

Antifrágil. Vivemos no mundo VUCA com quatro características: volatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade. Você já deve ter observado que tudo mudou e a essa altura

Continuar Lendo »