Viajantes no exterior tem mais facilidade para resolver problemas em companhias aéreas do que no Brasil

airport-3511342_960_720

Regulamentação do parlamento europeu ampara de forma direta os consumidores que se sentirem lesados e startup brasileira expande operações para ajudar brasileiros e estrangeiros em voos entre Brasil e países do velho continente

Ser prejudicado antes ou durante um voo e não ter um ressarcimento já não é mais uma infeliz realidade. Uma startup fundada em Vitória desenvolveu uma plataforma que agiliza e oportuniza aos consumidores do setor aéreo buscarem por seus direitos com a mínima burocracia. É a Liberfly – www.liberfly.com.br. Pioneira na América Latina no setor de lawtechs (empresas de tecnologia voltadas ao universo jurídico), acaba de sair na frente mais uma vez e anuncia a sua expansão para Europa.

A partir de agora, passageiros brasileiros – ou não – que viajarem do Brasil para o continente europeu e sofrerem algum tipo de problema com companhias aéreas relativas aos seus voos poderão ser auxiliadas pela Liberfly como mediadora desse diálogo e busca por uma indenização. “Na Europa já existe uma cultura de contato mais próximo entre as partes envolvidas, muito em função da legislação já estar adequada e clara em muitos dos casos possíveis no serviço aéreo comercial”, conta Ari Moraes Jr, CEO e cofundador da Liberfly.

Ari ainda destaca que, por esse motivo, os passageiros estrangeiros já estão acostumados a realizarem reclamações, fato almejado aqui no Brasil. “Queremos e podemos ajudar muitos aos brasileiros tanto aqui quanto fora do país a não deixarem um transtorno com seus voos passarem em branco. Entendemos que o nosso papel aqui é também de mostrar que é possível se resolver questões na justiça de forma rápida e sem burocracia”, comenta.

Como funciona o serviço?

A Liberfly, criada pelos empreendedores Ari, Gabriel Zanette e César Ferrari, se coloca como a intermediadora em todo o processo de ressarcimento e compensação pelos danos causados pelas companhias aos consumidores. Tudo acontece de maneira muito simples: o cliente preenche um formulário disponível no site da empresa ou pode entrar em contato por um dos canais de relacionamento disponíveis.

Há uma análise de cada caso e em até 24 horas os especialistas da empresa retornam o contato para dar esclarecimentos. Após essa triagem a resolução do caso passa a ser responsabilidade da startup que mantém contato com os consumidores até o fim da mediação.

A expectativa da startup é crescer cerca de 600% com a expansão que terá como passo oficial a Espanha e a união com o escritório
Crown Acquistions Law Firm, um dos maiores especialistas em direito do consumidor da Europa. Com investimento pesado em tecnologia para atender a partir de agora demandas de dentro e fora do território nacional, a startup capixaba baseia o seu desenvolvimento em cima de uma demanda ainda em crescimento de consumidores lesados por serviços aéreos. O atendimento mensal gira em torno de 1.500 pessoas e projeção é chegar a 5.000 até o fim deste ano.

Sobre a Liberfly

Criada em novembro de 2016 no Espírito Santo por um trio de jovens empreendedores, a Liberfly é a primeira Lawtech da América Latina especializada na mediação de soluções no setor aéreo. Com foco total no resgate dos direitos dos consumidores, a startup desenvolve constantemente tecnologias para facilitar cada vez mais a vida das pessoas lesadas pelas companhias, trazendo o conforto e a certeza de que serão ouvidas e atendidas.

Por Lucas Paschoal