Beleza

Confira como funciona o rejuvenescimento facial via eletrofulguração

rejuvenescimento não invasivo

Confira como funciona o rejuvenescimento facial via eletrofulguração
procedimento de eletrofulguração

A solução não cirúrgica para flacidez e linhas de expressão

O processo de eletrofulguração é caracterizado pela substituição do tecido flácido por uma pele renovada, por meio de um aparelho de eletrocautério, o qual consiste em gerar um processo inflamatório local, dessa forma existe a formação de novas proteínas na região, como colágeno e elastina. 
 
Esse procedimento pode ser realizado nas pálpebras e nas bolsas embaixo dos olhos, em linhas de expressão como pés de galinha, bigode chinês,  códigos de barra, cicatrizes de acne e também em manchas senis (comuns em mãos). O tratamento possui diversos benefícios como, o rejuvenescimento facial e melhoria da expressão e da visão, pois atua na redução da sensação de peso e do cansaço nas pálpebras.
 
E para quem talvez esteja apreensivo com a questão da corrente elétrica do aparelho de eletrocautério, a Dra Thais Sydulovicz, Sócia Proprietária da Clínica Topfit, tranquiliza, “Antes de se iniciar o tratamento é aplicado o anestésico tópico, e feita a marcação do local a ser tratado, assim como a devida assepsia, que evita qualquer tipo de contaminação no local. O aparelho utilizado não chega nem a encostar na pele do paciente, apenas chega perto”.
 
A eletrofulguração pode ser feita tanto em mulheres quanto em homens, a sessão é rápida e prática, levando cerca de 30 a 40 minutos. Ao final do processo também se é utilizado o laser de baixa potência (LED), que ajuda na recuperação tecidual, diminuindo o edema que pode surgir após o procedimento.
 
Após a realização do tratamento, o paciente pode continuar suas atividades diárias normalmente, tendo apenas o maior cuidado nas primeiras 72 horas em aplicar o protetor solar e evitar os raios solares.
 
Normalmente, apenas quatro sessões do tratamento são suficientes, “A melhora facial e os resultados almejados já são atingidos desde a primeira sessão, mas é importante que o paciente analise a região afetada e não pare o tratamento subitamente”, apresenta a Dra Maikiara Nascimento, Fisioterapeuta Dermatofuncional.
 
Observa-se que a área tratada fica vermelha nos dois primeiros dias da aplicação, e então após o terceiro dia forma-se uma crosta que cai, como se fosse uma ferida normal, após esse processo que dura em torno de cinco dias, a pele se mostra renovada e retraída, e assim sem a flacidez inicial.